Sou uma fraude?

Passei meses me dedicando ao destralhe do meu armário: doei muitas roupas, vendi outras e reduzi as compras de peças novas. Fiz o mesmo com sapatos, bolsas e bijuterias. Até as maquiagens, produtos de corpo e cabelo entraram na dança. Cheguei ao ponto de ocupar só metade do guarda-roupa e ficava feliz com cada espaço vazio.

No último fim de semana fizemos a mudança e foi moleza levar as roupas e acessórios para a casa nova. Como mostrei no vídeo de ontem, tudo estava bem organizado e foi muito mais fácil do que eu imaginava. Até aí, tudo certo. Até que chegou a hora de levar os itens de cozinha. Gente… Eu comecei a montar o “enxoval” em 2012, e desde então comprei/ganhei muita coisa legal para a casa. No chá de panela, os presentes mal cabiam no carro. Na época do casamento, era caixa saindo pelo ladrão na casa dos meus pais.

A cada item que chegava, eu arrumava um espacinho para montar meu estoque. Mandei muita coisa pra casa da minha sogra, enchi o baú da nossa cama e aproveitei um banheiro desocupado da casa dos meus pais. Fora o que ficou no maleiro do armário e outros cantos que eu ia arrumando. O resultado dessa bagunça toda é que eu não fazia a menor ideia da quantidade de coisas para a casa que eu tinha. Fiquei tanto nos artigos pessoais que perdi o controle do resto.

Pensei muito em um filme que recomendei aqui há um tempo: um homem guarda todos os seus pertences no depósito e só pode retirar um por dia. O que é realmente necessário ter em casa? É claro que a resposta para essa pergunta depende dos hábitos de cada pessoa. Apesar de ter recebido muitos presentes incríveis no ano passado, tive que correr no domingo para comprar um utensílio simples: uma leiteira de vidro resistente ao micro-ondas. Percebi que é uma das coisas mais importantes para mim na cozinha, especialmente enquanto o gás não chega.

Não me arrependo de ter começado o enxoval mil anos antes da mudança, até porque eu não imaginava que demoraria tanto. Fazendo as compras aos poucos, consegui juntar itens ‘dos sonhos’ sem sentir um impacto nas contas. O lado negativo foi perder o controle da situação. Até tentei fazer um inventário, mas não tive sucesso. Ou seja, vivo falando em organização, mas me perdi na minha própria bagunça. Será que sou uma fraude? :p

É brincadeira, tá? heheheh Um leve desvio no caminho da organização não vai tirar o meu foco, mas tudo isso me fez pensar que não adianta dar atenção total a um setor abandonar o restante. Na casa nova, vou me esforçar para manter todos os cômodos em ordem. Mas eu não sou a louca da organização, apesar de adorar o assunto. Dias de bagunça são inevitáveis e sei muito bem conviver com eles sem me estressar.

A mini roseira amarela é a mais nova moradora do apartamento :)
A mini roseira amarela é a mais nova moradora do apartamento 🙂

Vou aproveitar o feriadão para fazer AQUELA faxina no apartamento e organizar as minhas gavetas. Depois conto o resultado 🙂

Beijos!

Mudança prática!

Como vocês sabem, na semana passada fiquei super envolvida com a mudança para o apartamento novo. Pesquisei algumas maneiras de facilitar o transporte das roupas e descobri uma dica muito útil para facilitar o processo.

Filmei um pouco do início da mudança para registrar esse momento e passar essa dica para vocês. Já me imagino vendo esse vídeo daqui a uns anos e lembrando como foi a mudança <3. Sempre penso se minha vida vai mudar muito daqui a X anos, vocês também são assim? Loucurinhas de uma virginiana louca por planejamento 🙂

Então clique no vídeo para aprender essa dica incrível de mudança prática. E aproveite para se inscrever no canal!

Beijos!

Frango na Air Fryer

Sempre desconfiei da air fryer, aquela fritadeira elétrica sem óleo. Achava impossível fritar qualquer coisa com ar quente e não pensava em comprar o aparelho, tanto que ele nem entrou na lista de casamento. Até que minha mãe ganhou uma. Arrisquei uma batata frita congelada e deu certo. Tentei fazer batata doce cortada em palito em casa, e o resultado foi ótimo. Evoluí para o pão de queijo congelado e, hummm, maravilhoso!

Abandonei qualquer preconceito e parti para novos experimentos na air fryer. Gente, tudo fica ótimo! Minha animação foi tanta que acabei ganhando uma igual a da minha mãe, a Mondial com interior de inox. Aí pensei: vou testar essa panela com a fritura mais trash possível. O eleito foi o frango a passarinho, prato que eu nunca teria coragem de fazer em casa. Comprei uma embalagem de frango já temperado e coloquei na panela.

Deixei 15 minutos na temperatura máxima (200o), virei os pedaços e deixei mais 10 minutos. Aqui ele já está pronto para comer, mas eu gosto de um frango beeem torradinho e a ideia era descobrir até onde a air fryer iria. Deixei mais 5 minutos, e olha o resultado:

frango-na-air-fryer

Que delícia, gente! Provei um mini pedaço dessa pele crocante (já passei dos 30, né?) e espremi bastante limão, do jeito que eu gosto. Sucesso total no jantar!

No sábado encontrei no supermercado aquele saco de frango congelado com os pedaços soltos, sabe como é? Não precisa tirar tudo para descongelar, você pega só os pedaços que for comer. Como agora somos só dois em todas as refeições, achei uma ideia bem prática. Repeti a receita do frango na air fryer acompanhado de batata doce (também “frita”) e salada. A batata doce também é muito fácil: é só descascar as batatas, cortar em palitos e temperar com sal, pimenta, alecrim e um fio de óleo. Em 15 minutos, ela está pronta.

Comentei com vocês que ainda não temos gás de cozinha no prédio, então temos que preparar as refeições com os equipamentos elétricos: fritadeira, panela de pressão, micro-ondas e forninho. Com essa limitação do gás, vou testar várias receitas novas na fritadeira e conto para vocês o resultado.

Se alguém tiver uma receita boa de air fryer, deixa aqui nos comentários! Vai ser muito útil pra mim 🙂

Beijos!

Mudamos para a casa nova!

Antes de tudo, preciso pedir desculpas pela ausência por aqui. Eu sou o tipo de pessoa que dedica 100% dos pensamentos a um projeto importante, e foi o que aconteceu com a mudança. Nas duas últimas semanas, fui consumida por mil preocupações e coisas a resolver no apartamento. Infelizmente, o blog ficou de lado nesse tempo. Esse é um defeito que preciso corrigir com o tempo. Mas agora que tudo voltou ao normal, vamos ao que interessa 🙂

No sábado (19 de março), nos mudamos oficialmente para a casa nova. Foram 11 meses de espera desde o casamento (18 de abril de 2015). Muito tempo para dois virginianos viverem em um esquema provisório, sem muita rotina. Lado positivo: desenvolvi minha paciência e aprendi que as coisas acontecem no tempo delas, não no meu.

No início do ano eu decidi que a gente se mudaria dia 19 de março. Foi uma decisão baseada em nada, apenas na vontade de resolver nossa vida. O Leo dizia que eu estava criando expectativas demais, que não daria tempo de pegar as chaves AND fazer as obras nesse tempo, etc. Mas quando eu coloco alguma ideia na cabeça, pode ter certeza que vai dar certo. Ainda mais quando se trata de datas, valores, números em geral. Tipo lei da atração, sabe como é?

casa-nova
Depois de três anos encaixotadas, as xícaras começam a aparecer.

Então fizemos um mutirão com meus pais no sábado de manhã para trazer tudo o que faltava e instalar eletrodomésticos. Meu pai ligou a lava e seca, instalou o filtro e fixou os acessórios de banheiro. Minha mãe limpou toda a geladeira e trouxe mais sacolas lotadas de coisas. Desempacotei alguns copos, pratos, talheres e xícaras.

Os armários da cozinha vão demorar algumas semanas para chegar, então precisei improvisar um esquema de organização só com as bancadas. Peguei uma mesinha emprestada dos meus pais para colocar o micro-ondas (que depois vai ficar em um nicho no armário) e tentei arrumar um espacinho para cada item.

O gás aqui é encanado e os tanques ainda estão vazios. Vai ser um desafio cozinhar sem o fogão, mas estou animada com a experiência. Já tirei das caixas a panela elétrica de pressão, forninho e air fryer. Sábado fiz o primeiro teste com a panela de pressão: um macarrão à bolonhesa! Ele cozinhou mais do que deveria, mas quebrou o galho depois de um dia mega cansativo. A air fryer já é minha queridinha e tenho testado várias receitas. Amanhã vou contar para vocês uma das minhas preferidas! 🙂

Na sala já temos sofá, rack, TV, cadeiras e o pé da mesa (o tampo de vidro chega nos próximos dias). A mesa do escritório está provisoriamente na sala porque ficamos sem espaço no quartinho, que está entupido de tralhas e caixas. Os banheiros estão quase prontos, com armários, espelho, box, e porta-toalhas. O quarto tem o essencial: cama e armário. A TV está na casa da minha sogra e logo virá pra cá. Tudo encaminhado!
Até agora, estou gostando de tudo do apartamento. Estamos em um andar bem alto, então o barulho da piscina e dos carros mal chega aqui. É bem mais fresquinho do que eu imaginava e sempre entra um ventinho. Mesmo tendo vindo aqui dezenas de vezes nesse tempo, só agora pude perceber esses detalhes.

Não foi fácil sair da casa onde passei toda a minha vida, mas é maravilhoso realizar o sonho de começar uma nova família nesse apartamento. Tenho um certo pavor de mudanças de vida e de não saber o que me aguarda, mas tenho fé que essa casa me acompanhará em momentos muito especiais. Vai ser um aprendizado incrível para mim e para o Leo.

Ainda quero dar uma volta para conhecer melhor o comércio da vizinhança. Vou sair bem mais cedo para o trabalho porque o trânsito nesse bairro é pesado. E assim vamos adaptando a rotina e a vida nova 
E vamos voltar com a programação normal do blog porque eu estou morrendo de saudades!

Beijos!

Organização de esmaltes

Eu estou sempre em busca de maneiras mais interessantes de organizar os meus pertences, mas tem uma categoria que demorou muito para entrar na linha: esmaltes e acessórios de unhas. Costumava acumular muitos esmaltes, lixas, alicates e tudo que pudesse ser usado para fazer as unhas. É claro que virava uma bagunça!

Depois que comecei a fazer as unhas sempre em casa, precisei organizar melhor esse setor. Reduzi a quantidade de esmaltes e fiquei só com as cores preferidas. Tentei deixar tudo arrumado em uma gaveta, depois uma cestinha, mas achava que eles ainda estavam ocupando muito espaço. Aproveitei uma nécessaire de viagem que estava encostada e arrumei os acessórios por lá. Gostei muito do resultado e pensei que algumas de vocês podem ter o mesmo problema que eu! Afinal, como organizar esmaltes?

Pesquisei algumas opções para resolver esse problema de organização. A escolha do modelo vai depender basicamente da quantidade de esmaltes. Se você é como eu e tem menos de 10 vidrinhos, consegue guardar tudo em uma bolsinha ou em potes de vidro/porcelana/plástico.

Quem tem uma coleção um pouco maior por organizar os esmaltes em maletas ou caixas. Adoro as forradas com tecido! Mas se você é um pouco exagerada no quesito unhas, pode optar por caixas com divisórias ou organizadores de acrílicos. Assim, todos os vidros ficam expostos e você encontra fácil a cor eleita para a semana. Separei algumas ideias de organizadores para esmaltes:

organização

E você não precisa gastar horrores para ter um organizador interessante. Pode pintar ou forrar uma caixa de MDF ou aproveitar uma nécessaire antiga (como eu fiz). Se você quiser comprar, vou dar uma dica: o site Elo7 tem produtos lindos de vários artesãos. Comprei alguns itens por lá para o casamento e deu tudo certo! O legal é que você compra diretamente de quem faz o artesanato, e não de uma grande rede de lojas. Lá tem de tudo, é só procurar!

As outras imagens eu encontrei nos sites Meu Móvel de Madeira e Casa Que Tem.

Aproveitando uma ideia que surgiu nos comentários, gravei um vídeo mostrando a minha bolsinha de esmaltes 🙂

Beijos!

 

Agora vai! Resultado de fevereiro

O resultado do desafio Agora vai! de fevereiro foi um sucesso: voltei a gostar de uma peça e ainda abri espaço no armário. A ideia é escolher três peças que eu não uso há tempos e descobrir por que elas estavam abandonadas no guarda-roupa. Todo mundo tem alguma roupa, sapato ou acessório encostado na gaveta e essa é a hora de dar uma última chance a eles.

Na escolha dos itens de março, resolvi dificultar um pouco e coloquei até maquiagem. Vai ser realmente um desafio sair da minha zona de conforto. Se você quiser conhecer melhor o projeto e conferir o resultado de fevereiro, além das peças escolhidas para março, é só assistir o vídeo:

Beijos!

Pedra da cozinha (Branco Siena)

A cozinha do nosso apartamento evoluiu bastante nos últimos dias e fiquei animada em dividir as novidades com vocês.

Recebemos o apartamento com uma pedra pequena na cozinha, só com a cuba e espaço para um escorredor. Além disso, ela era mais estreita que o padrão de 60cm e teríamos problemas para embutir os eletrodomésticos. Decidimos trocar por uma bancada maior e fui atrás das opções. Adoro aquelas bancadas lisinhas e sem manchas tipo Silestone, mas no primeiro orçamento desistimos. Existem muitas marcas que fabricam esse tipo de bancada, mas até os modelos mais baratos ficariam pelo menos 3 vezes mais caros que o granito.

A bancada da cozinha definitivamente não era a minha prioridade, então foi fácil optar pelo granito. Gostei muito do granito na cor branco itaúnas, mas li muitas reclamações sobre manchas com o tempo de uso. Nem os profissionais das marmorarias que visitei recomendam a cor. Escolhi o branco siena, que tem menos facilidade para manchar (mas também mancha) e o preço é parecido.

Se você estiver decidido pelo granito, saiba que é uma pedra natural e o desenho nunca será totalmente uniforme. O granito tem algumas manchas mais escuras, mas acho que elas não atrapalham em nada. Você pode pedir para ver a pedra que será usada na sua bancada e checar as manchas, para garantir. Gostei muito do branco siena porque ele é clarinho e mistura o cinza com o bege. Achei que compensou demais o preço!

Um problema da nossa cozinha é que ela veio só com tomadas altas. Ou seja,não daria para usar nenhum equipamento elétrico embutido embaixo da bancada. Adeus forno, lava e seca, lava-louças e triturador, né? Chamamos o eletricista para mudar as tomadas e lugar e ele precisou quebrar algumas cerâmicas, claro.

Aí vem o problema número 2: esse prédio está pronto há milênios e as cerâmicas usadas já saíram de linha. Não encontrei nem no “cemitério dos azulejos”. A solução mais prática foi trocar o revestimento da parte que ficará aparente entre a bancada e os armários.

Sou apaixonada pelo Metro White da Eliane, super conhecido em blogs de decoração. Encontrei o modelo Beatles, também da Eliane, por um preço ótimo e levei. Acho os dois muito parecidos (até iguais…). Ficamos na dúvida sobre a cor do rejunte, já que o cinza destaca as peças, mas o branco ganhou.

Os armários vão demorar um pouco, então sinalizei nas fotos onde vai ficar cada item da cozinha. Acho que dá para ter uma ideia boa de como vai ficar 🙂

Tentei mostrar nas fotos os dois lados da cozinha. A bancada maior (com pia, fogão, etc) tem 60cm de profundidade e o balcão de apoio tem 35cm.

branco siena
branco siena
branco siena
branco siena
branco siena

Agora é esperar a mudança! Tenho uma data na cabeça, espero que dê certo 🙂

Beijos!

Compras = menos stress?

Hoje dei uma volta no shopping para pesquisar preço de geladeira (acabei comprando online! #internetwins) e fiquei pensando nos tempos em que passear nas lojas era um prazer para mim. Quantas vezes não saí do trabalho direto para o shopping só porque o dia tinha sido puxado… Por muitos anos usei as compras para relaxar, mas não percebia que logo em seguida aquilo viraria um drama: extrato do cartão nas alturas, poupança zerada e um guarda-roupa nada interessante.

Eu descontava o stress da vida nas compras, mas não tinha um retorno duradouro. A alegria durava algumas horas, mas no dia seguinte tudo voltava ao normal. Minha relação com as compras nunca chegou ao ponto de atrapalhar a minha vida ou me deixar endividada, mas sei que ela não era 100% saudável. E entendo que muita gente compartilha desse mesmo problema.

compras

Sabia que mais de um terço das pessoas (36%) compra para aliviar o nervosismo do dia a dia? Li uma pesquisa recente do SPC mostrando que 24% das pessoas compram quando estão deprimidas. As mulheres têm uma tendência maior a fazer compras por impulso quando estão deprimidas: 30% já caíram nessa roubada.

Eu já me encaixei nessas estatísticas, mas a cada dia tenho menos vontade de gastar dinheiro sem pensar muito bem antes. Hoje eu valorizo as boas experiências que o dinheiro pode pagar, como a emoção de viajar para um lugar novo e a alegria infinita de arrumar a minha casa.

E você, já pensou no que vai fazer com o próximo salário? Pense bem antes de correr para o shopping. Planeje, dê um destino a cada centavo que entra e o retorno será incrível. Eu garanto J

Beijos!

PS: Se você ficou curioso com a pesquisa e quer ver mais dados, é só clicar aqui.

Compras por impulso | Como evitar?

As piores compras da minha vida foram feitas sem pensar, totalmente por impulso. É aquela história: você não estava precisando de nada, mas passa por uma vitrine e se apaixona por aquela roupa. Parcela, passa em dois cartões, pede ajuda pra mãe, mas dá um jeito de sair da loja com o pacote. Chegando em casa, a decepção é quase sempre inevitável: a roupa não ficou tão legal assim, não combina com o seu estilo ou é perfeita para aquela festa de gala que você nunca irá.

Todo mundo já comprou por impulso e se arrependeu em seguida. Eu uso algumas táticas para ajudar a economizar e evitar o desperdício. Hoje quero conversar com vocês sobre dicas para driblar a vontade de gastar e acabar com as compras feitas por impulso. É só dar play no vídeo:

Beijos!

3 dicas imperdíveis para micro-ondas

Hoje acordei faminta e morrendo de preguiça de preparar um café da manhã digno. Nessas horas, só penso em uma coisa: ovo no micro-ondas (taí uma palavra que ficou feia com a nova ortografia). Comendo o meu ovinho com torrada, lembrei que muita gente se surpreende quando conto que preparo muita coisa boa no micro-ondas.

Nunca assei nada muito elaborado no micro, mas tenho algumas dicas de comidinhas rápidas e preguiçosas que gostaria de dividir com vocês. É claro que não fica igual uma comida preparada no fogão, mas só o fato de não sujar panelas já me alegra muito. Basicamente todos os recipientes que aguentam o micro podem ir ir para a lava-louças. Comida rápida e sem louça para lavar é a melhor coisa do mundo.

Então vamos às dicas:

Ovo “frito”
Vamos colocar mais aspas nesse “””frito”””, porque nada pode ser considerado frito sem óleo envolvido. Por falta de uma palavra que descreva melhor a situação desse ovo super prático, ficamos com frito. Pego um potinho de vidro (que suporte micro-ondas, claro) e quebro o ovo dentro. Coloco sal e pimenta e #partiumicro-ondas. Mas cuidado: ovos explodem, então você precisa cobrir o pote. Use uma folha de papel-toalha ou guardanapo para cobrir o pote (isso também funciona para cobrir o prato quando vai esquentar a comida). Deixo 30 segundos, abro e vejo como ficou. Depois coloco mais 20 ou 30 segundo. Coloco o pão na torradeira e pronto! Café da manhã gostoso e sem óleo. Se você bater o ovo com um garfo, vira ovo mexido e cresce tipo suflê. Bom também!

Pipoca de verdade
Já pararam de comprar aqueles sacos horrorosos de pipoca temperada para micro-ondas? Com o valor de um daqueles você compra um saco inteiro de milho e tem pipoca para o mês todo. E sem sujar panela! Eu uso um pote alto de vidro e cubro o fundo com milho. Coloque um fio de óleo ou água e e cubra com papel filme ou com aquela tampa de plástico para micro-ondas (é o que eu uso). Deixo por 4 minutos, mas isso vai depender do seu aparelho. Como no próprio pote de vidro, que também vai ao micro! Ou seja, não precisa sujar nada. Uma amiga tentou fazer essa pipoca em um pote de plástico e quase pegou fogo. Tome cuidado!

Bacon
Esse eu não faço tanto quanto gostaria, mas é uma ótima dica para evitar sujeira na cozinha. Quando você precisar de bacon frito para um carbonara, quiche, ou qualquer outra receita, tente fazer no micro. Faz zero bagunça! Em um prato resistente coloque duas folhas de papel toalha e distribua as fatias de bacon. Cubra com mais duas folhas de papel e coloque no micro-ondas. Vá de minuto em minuto, abrindo para ver a situação. Juro que dá para torrar o bacon lá dentro, então vá com calma. A mesma lógica funciona com aquela linguiça fininha defumada, já fiz muitas vezes.

Essas dicas sempre quebram o maior galho lá em casa e espero que sejam úteis para vocês 🙂

Beijos!