Hora de rever as metas do ano!

Hoje é dia 30 de junho e o primeiro semestre de 2016 se foi! É hora de dar uma olhada naquelas metas que definimos em dezembro para saber o que andou e o que ficou na mesma. Eu gosto de cumprir metas para ter aquela sensação de que vou terminar 2016 diferente de como estava em 2015. Gosto de sentir que estou evoluindo e me esforçando para alcançar meus objetivos. E as metas são uma grande ajuda para manter o foco nesse processo.

Fico perdida sem objetivos bem definidos, seja para o ano ou para o dia. Já comentei por aqui que minha vida é toda organizada por listas. Se acordo e não tem nada definido para o dia, fico de bobeira e nem lembro daquilo que precisava fazer. O mesmo acontece ao longo do ano: sem uma direção muito clara do que quero conquistar, nada acontece.

Por isso, achei uma boa ideia rever as minhas metas para 2016 e avaliar o andamento de cada uma. Deu para ter uma noção boa de quais metas precisam de um investimento maior! Fora a alegria de ver algumas metas praticamente completas ainda no meio do ano 🙂 Espero muito que você goste desse balanço de meio de ano e te convido a fazer o mesmo em casa. Depois me conta por aqui como andam as suas metas.

Beijos!

Como manter a organização da casa

A principal dificuldade da maioria das pessoas que quer colocar a casa em ordem não é o processo de organização da casa, mas sim a manutenção daquilo tudo. Você vai precisar de tempo e esforço para esvaziar os armários e encontrar um lugar para cada coisa, mas o trabalho pesado fica para as próximas semanas. Depois que a organização está pronta e sua casa parece “de revista”, começam a aparecer aquelas meias espalhadas pelo chão, embalagens vazias de biscoito na sala e muitas roupas misturadas no armário.

Como evitar que a bagunça tome conta da sua casa logo depois da arrumação? Já vivi isso em vários momentos da vida, após tentativas falhas de organizar a minha vida. Demorei a entender o que realmente funcionaria para mim. Esses dias recebi um comentário de uma leitora na mesma situação: ela adora organizar, mas tem dificuldade em manter. Coloquei no papel algumas dicas que deram resultado para mim e quero conversar com vocês sobre elas.

organização-da-casa

Não deixe acumular, arrume com frequência
Em 15 minutos você consegue dar uma geral rápida na casa: guardar objetos que estão fora do lugar, jogar fora panfletos e recibos, guardar os sapatos deixados na entrada, levar copos usados para a cozinha, etc. Separe um tempo todos os dias para essas atividades mais simples e a bagunça não vai se acumular como antes. Uma dica valiosa que aprendi no blog Vida Organizada é: sempre que sair de um cômodo, leve algo que não pertence a ele. Exemplo: saindo da sala, pego um casaco que estava apoiado na cadeira da mesa de jantar e guardo no armário.

Não dá para organizar lixo/tralha
Essa eu demorei a entender, mas hoje é essencial na minha vida. Não tem como organizar objetos sem utilidade que deveriam ser doados ou ir para o lixo. Você pode esconder tudo em uma caixa, mas um dia a bagunça estará lá te esperando. Não vale a pena ocupar espaço com coisas que não fazem mais sentido na sua vida. Se for para deixar aquela coleção de revistas juntando poeira na estante, é melhor dar para alguém que faça algo útil com ela, concordam?

Defina um lugar para cada objeto
Essa evita um dos piores problemas da desordem: perder as coisas dentro de casa. Eu só aceito que algo está “perdido” quando ele saiu de casa e não voltou. Quando saio com um guarda-chuva e ele fica no banco do metrô, digamos. Se o objeto nunca saiu de casa, preciso saber onde ele está. Para isso, cada coisa deve ter seu lugar. Eu tenho cestinhos para cabos e eletrônicos, outro para temperos, maquiagens, e muito mais. Sério, gente. Nada é mais chato do que procurar a carteira desesperadamente antes de sair de casa. Defina um lugar para cada objeto e acostume a deixá-lo sempre por lá. Isso vai ajudar muito na organização da casa.

Guarde assim que terminar de usar
Depois que eu adquiri o hábito de guardar as coisas logo após o uso, o acúmulo de tralha diminuiu muito. Antes era assim: eu ia fazer as unhas e deixava os esmaltes espalhados a semana toda. Claro que um se perdia, outro quebrava, e tudo mais. Hoje sei que minha rotina fica muito mais fácil se tudo voltar ao local de origem. Assim, você não tem bagunça e sempre sabe onde as coisas estão.

organização-da-casa

Evite superfícies horizontais em excesso
A bancada da cozinha é o lugar perfeito para deixar as compras do mercado, certo? Você chega em casa cansada, larga as sacolas ali, tira o que é de geladeira e vai deixando o resto por dias e dias. Quem nunca? Superfícies horizontais imploram por uma baguncinha. Aquele móvel perto da entrada de casa pede que você largue as chaves, o celular, a correspondência, o casaco e o que mais vier da rua. O rack da televisão é ideal para deixar alguns copos sujos e o balde de pipoca da noite passada. É impossível tirar todos os móveis de casa, mas tente reduzir as superfícies que facilitam o acúmulo de tralha. Por falta de espaço, eu não tenho mesa de centro na sala, então sou obrigada a recolher toda a bagunça que faço no sofá assim que levanto. É só um exemplo de como você pode melhorar a organização da casa.

Resolva na hora
Temos o costume de acumular roupas e outros objetos que precisam de alguma “ação” antes de ficarem prontos para uso. Pregar um botão, mandar ajustar, tingir, passar ou qualquer coisa que esteja atrapalhando deve ser resolvida logo. Eu mesma já deixei roupas paradas por meses esperando o dia de ir na costureira fazer um ajuste. Hoje tento resolver essas pendências o mais rápido possível. Gosto de guardar a roupa assim que ela sai do varal para evitar o acúmulo no cesto. Faço o mesmo com a louça que sai da máquina e com as compras do mercado: guardo tudo na mesma hora, não deixo para depois. Então separe o que deve ir para a lavanderia ou para a costureira e resolva o que precisa ser feito na sua casa.

Nem sempre conseguimos manter a organização da casa 100% o tempo todo. Esses dias mostrei no snapchat (me segue por lá: elisalangsch) um dia em que a minha sala estava de cabeça para baixo. De terça a quinta, passamos pouquíssimo tempo em casa e a bagunça toma conta. Eu arrumo alguma coisa pela manhã e acabo priorizando a cozinha, então a sala fica de lado. Quando chega a noite de quinta-feira, aproveitamos o tempo livre para tirar a tralha, passar o aspirador e um pano. Como cada coisa tem seu lugar, é fácil retomar a organização e não temos aquela impressão de que perdemos o controle, sabe? Então não desanime se sua casa não é como a de uma revista o tempo todo. A de ninguém é assim. O importante, na minha opinião, é saber que em alguns minutos é possível colocar tudo em seu lugar e a casa continuará organizada.

Beijos!

Guia de compras da Marie Kondo

A japonesa Marie Kondo é uma inspiração para mim e me já apareceu várias vezes aqui no blog com dicas incríveis de organização. Gosto do método dela porque envolve não só a organização, mas o destralhe e a redução do consumo. Acredito que com esses três itens, todo mundo pode ter uma casa organizada e livre de excessos. Mas uma coisa é ler as dicas da Marie Kondo nos livros, e outra é colocá-las em prática, certo/

Pensando nisso, o site da revista The New Yorker levou a nossa organizadora preferida para fazer compras em uma loja maravilhosa, a Anthropologie. Confesso que nunca tive coragem de comprar nada nessa loja ($$$), mas as peças são realmente lindas. Enquanto Marie passeava pelas araras, ela passou algumas dicas valiosas para fazer compras inteligentes. Você pode ler a matéria original em inglês aqui, mas eu fiz uma adaptação em português com alguns comentários.

Se quiser conhecer mais sobre o método konmari, leia os posts abaixo:

A mágica da arrumação

Como organizar guarda-roupa

Marie Kondo

Visualize a roupa desejada antes de começar as compras

Não saia para fazer compras sem foco. Você só deve entrar em uma loja (ou site) quando precisar de algo específico, e é importante visualizar sua versão ideal daquele item antes de entrar. Isso evita que você se conforme em comprar algo pior ou totalmente diferente do foco inicial.

Cada peça de roupa ocupa um papel diferente na sua vida

A maior parte dos itens que você compra pertence a um segmento da sua vida, mas não necessariamente a outro. Pense em roupas de trabalhar versus roupas de sair. Avalie em qual área da sua vida você usará o novo item na maioria das vezes, porque isso vai ajudar a definir sua escolha. Caso contrário, você pode acabar com peças muito apertadas ou curtas para o ambiente de trabalho, ou ainda roupas casuais que exijam muitos cuidados.

Toque cada peça de roupa

Assim como a Marie Kondo recomenda para o destralhe da casa, é importante tocar cada peça que você possa comprar. Compras em potencial deveriam dar a sensação de contentamento quando você as sente. Caso a peça não desperte o sentimento, ela não vale seu dinheiro.

Ignore roupas não disponíveis no seu tamanho

Se a loja não tiver aquela peça no seu tamanho, ignore-a completamente e não fique tentando fazer a roupa cair bem a qualquer custo.

Evite o que não desperta alegria

Como mencionado antes, os itens que você vai comprar devem despertar alegria. Isso significa que eles deveriam te deixar animada sobre eles, sobre a vida, e não trazer associações negativas. Você deve evitar qualquer coisa que te deixe mal consigo mesma, que seja desconfortável ou traga memórias ruins do passado. A Marie praticamente não usa calças porque elas pararam de “despertar alegria” nela.

Passeie pela loja inteira antes de experimentar algo

Você quer tomar a decisão mais inteligente possível, e a melhor maneira de fazer isso é avaliar tudo o que a loja (ou site) oferece. Pode demorar mais tempo, mas percorra toda a loja para que você não perca nada interessante e perto do que você procura.

Faça compras sozinha

Ter sucesso nas compras envolve ver e provar muitas roupas, o que pode ser chato quando se tem amigos ou familiares te esperando. A Marie Kondo prefere fazer compras sozinha, ou, no máximo, leva o marido. Eu considero que levar acompanhantes aumenta as chances de erro, porque é muito fácil se deixar levar pelos comentários dos outros.

Aceite seu tamanho atual

Mais do que ignorar qualquer peça que não seja do seu tamanho, Marie Kondo sugere que você goste do seu corpo como ele é. Aprendendo a ser mais confiante e confortável na sua própria pele, você estará menos vulnerável a fazer compras emotivas sem base na realidade. “Eu só compro o que fica bem em mim. Se eu quiser emagrecer, faço isso primeiro e depois vou às compras”, disse Marie.

Não espere que um item desejado entre em liquidação

Marie Kondo acredita que se você esperar muito para que a peça entre em promoção, você pode perder a oportunidade de comprar o tamanho certo, já que as liquidações costumam ter pouca numeração. Para garantir que você compre apenas aquilo que te cai bem, compre logo as roupas que você adorou. Você vai economizar dinheiro na costureira para deixar a peça no seu tamanho.

Reduza até chegar ponto de sentir o “click”

Nesse dia de compras, a Marie selecionou 10 vestidos, depois reduziu para dois. A ideia é analisar cada peça e levar só as que despertarem alegria e não te façam sentir culpada depois de sair da loja. Tenha certeza de que precisa ou quer muito aquilo que está comprando.

5 coisas para doar ou jogar fora

Você quer se organizar, mas não sabe por onde começar? Tente esse desafio e encontre 5 itens para doar ou jogar fora. Reduzir a tralha acumulada já é um grande passo rumo à organização completa da casa! O destralhe é muito importante nesse processo porque é impossível organizar aquilo que não tem utilidade no seu dia a dia.

O desafio está lançado: procure os itens da lista e livre-se deles. Você vai ver como é boa a sensação de destralhar a casa! Se sobrar tempo, dê uma volta pelos cômodos em busca de lixinhos escondidos, como canetas sem tinta, recibos de cartão de crédito, contas já pagas, sacolas de compras, etc.

itens para doar ou jogar fora

Beijos!

Biscoito de canela fácil!

O fim de semana foi de muita preguiça por aqui. O carro não saiu da garagem e o mais longe que eu cheguei foi na esquina de casa conferir uma festa junina. Aproveitei esses dias para gravar vídeos, arrumar vários cantinhos da casa, fazer faxina, passar roupa e descansar bastante. Aproveitei o tempo livre para testar uma receita de biscoito de canela e o resultado foi delicioso! No fim da tarde de domingo, fiz um café e tomamos com esses biscoitinhos maravilhosos e super fáceis de fazer.

biscoito de canela

Infelizmente não lembro de onde tirei essa receita de biscoito de canela (se alguém souber, me avisa que dou os créditos).

INGREDIENTES

1 e 1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de amido de milho
1/2 xícara de açúcar
1 colher (sopa) de canela em pó
1 colher (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sopa) de essência de baunilha
120g de manteiga amolecida
Leite até dar ponto (de 3 a 6 colheres).

Misturei todos os secos, a manteiga e aquela essência de baunilha que eu fiz esses dias. Acrescentei o leite aos poucos, até conseguir uma massa fácil de fazer bolinhas.

Coloquei as bolinhas na fôrma (não precisa untar) e achatei cada uma com um garfo. Se você quiser, pode fazer com o cortador de biscoitos. Levei ao forno (elétrico) a 200º. Para saber quando o biscoito de canela está pronto, vire um deles e veja se a parte de baixo está escurinha (não torrada). O biscoito de canela só vai endurecer por completo fora do forno, então não adianta apertar por cima para saber se ficou pronto.

biscoito de canela

Tirei os biscoitos da fôrma e deixei esfriando em um prato. Eu amo canela, por isso adorei o sabor bem pronunciado dos biscoitos. Se você prefere um sabor mais sutil, é só colocar um pouco menos. Na próxima tentativa de fazer esse biscoito, quero diminuir a farinha de trigo e aumentar a Maizena. Gosto de biscoito bem esfarelento, que dissolve na boca, sabe? Acho que consigo esse efeito mudando um pouco a proporção desses dois ingredientes.

Essa receita rendeu duas fôrmas cheinhas de biscoito! Comemos no café da tarde e ainda sobrou bastante para a semana 🙂 Sem falar no cheirinho delicioso de canela que ficou na casa o domingo todo!

Beijos!

 

A história do apartamento

Hoje, com o apartamento mobiliado e organizado, nem parece que demorou tanto para chegarmos aqui. A história do meu apartamento começou em abril de 2012, quando eu tinha acabado de conhecer meu marido e ainda não tinha planos de casamento. Estava juntando dinheiro há um tempo e sonhava em morar sozinha, por isso estava de olho em apartamentos de um quarto.

Recebi a propaganda de um prédio novo no bairro onde eu queria morar e fui lá conhecer. O projeto era maravilhoso, mas o terreno ainda estava intacto. Nem fundação o prédio tinha. Comprei! Parecia que minha vida estava resolvida: em dois anos eu me mudaria e teria a tão sonhada vida “sozinha”. Bom, nada disso aconteceu.

Já reparei que não adianta fazer muitos planos para o futuro. A vida se desenrola de outro jeito, geralmente muito melhor do que o que estava nos meus sonhos. O assunto “casamento” começou a fazer parte das nossas conversas e um dia levei o então namorado para conhecer o prédio.

Ele, sempre muito comunicativo, começou a conversar com um pessoal da obra e descobriu que a construtora tinha uma condomínio com apartamentos maiores. Maiores e mais caros, claro. Morri de medo de assumir uma dívida maior ainda e, para completar, dividir a casa com ele! Fizemos as contas e vimos que seria impossível. Topamos mesmo assim.

Aí começou a espera. Primeiro pela festa de casamento, que veio um ano depois. Voltamos da lua-de-mel e nada do apartamento. PS: as prestações continuaram a vencer todo mês, mesmo sem a entrega das chaves.

Onze meses se passaram até que nós pudéssemos nos mudar, exatamente em 19 de março de 2016. Tenho certeza que essa espera teve um motivo, e um dia saberei qual foi. Enquanto isso, quero curtir a casinha e dividir tudo com vocês! Gravei a TAG Lar doce lar para contar um pouco mais sobre o apartamento, suas qualidades e defeitos.

Ah, vou colocar também a planta baixa do apê para dar uma ideia melhor!

apartamento

apartamento

Beijos!!

Como fazer extrato de baunilha

Esses dias mostrei lá no canal como fazer panquecas para café da manhã e usei um pedaço de fava de baunilha na receita. Ganhei duas favas da minha mãe e estava louca para testar. Aproveitei para inaugurar uma delas nas panquecas e nos comentários sugeriram que eu fizesse uma essência caseira.

Fui pesquisar o passo a passo e, para a minha surpresa, é super simples! O mais difícil aqui vai ser conseguir as favas, mas já vi que elas são vendidas no Mercado Livre. Se na sua cidade tiver um “mercadão” ou loja de alimentos importados, tente encontrar a fava por lá.

Com as favas em mão, separei um pote de vidro e fui atrás de uma garrafa de vodka. É só isso! Segue o passo a passo de como fazer extrato de baunilha:

como fazer extrato de baunilha

Com uma faca, eu parti as favas ao meio e raspei as sementinhas. Você pode usar as sementes para fazer outra receita e aproveitar só as cascas no extrato, mas preferi colocar tudo junto para conseguir um sabor bem pronunciado da baunilha. Coloquei tudo no potinho, enchi de vodka e fechei bem.

extrato de baunilha ess~encia de baunilha

Tirei a foto assim que terminei de fazer, por isso a vodka ainda estava transparente. No segundo dia ela já começou a pegar cor e está um caramelo lindo! Li que ela pode ser usada a partir de 2 meses, mas vai se aprimorando com o tempo. Vou deixar o meu extrato de baunilha bem quietinho por alguns meses, depois faço o teste para ver se ficou bom. Espero aguentar de curiosidade até lá!

Beijos!

Presente Dia dos Namorados

Vale comemorar o Dia dos Namorados depois de casada? Claaaro que vale! Alguns acham que essa é uma data muito comercial, mas vamos combinar que é uma delícia ter um dia mais romântico <3 Quero sugerir para você esquecer um pouco o lado dos presentes caríssimos e pensar em formas diferentes de surpreender o marido/a esposa/namoradx, etc.

Acho super difícil presentear meu marido com “coisas”, tipo roupa, sapato ou perfume. Prefiro fazer um passeio, viagem, algo para sair da rotina mesmo. Como esse vai ser o nosso primeiro dia dos namorados na casinha nova, nada melhor do que comemorar por lá mesmo. Quero inaugurar uma pedra de fondue que ganhamos há um tempo, então vou preparar um jantar legal para nós. Como nem todo mundo gosta de passar o dia na cozinha, quero propor algumas ideias diferentes para o seu Dia dos Namorados.

Contrate um chef

Sugestão perfeita para quem quer um jantar íntimo, mas não tem muitas habilidades na cozinha. Um jantar em casa tem mil vantagens: não tem fila de espera, a comida é feita especialmente para o casal, você pode levar seu vinho predileto e decorar a casa como quiser. Várias empresas oferecem esse serviço e, se bobear, sai mais barato que ir ao restaurante.

Monte sua própria cesta de café

Amo café da manhã e fico super emocionada quando recebo uma cesta cheia de comidinhas gostosas! Mas por que você vai pagar uma fortuna para a loja? Separe uma bandeja ou cesta e compre os itens preferidos dele/dela. Eu colocaria pães salgados e doces, manteiga, geleia, docinhos, biscoitos, suco, chocolates e frutas. Ainda dá para incluir uma xícara nova ou um bule de presente! É o meu presente dia dos namorados preferido <3

presente-dia-dos-namorados

Dia de folga

Quem não gostaria de ganhar um dia totalmente livre de preocupações, só com passeios diferentes ao lado do marido? Planeje um dia com atividades que signifiquem algo para o casal. Pelo menos uma vez por ano vamos ao lugar onde começamos a namorar e sentamos no mesmo banco de praça para lembrar daquela época <3 Faça reservas no restaurante onde foi feito o pedido de casamento, volte ao cinema onde vocês deram o primeiro beijo, ou qualquer lugar que traga lembranças boas. Complete o dia com aqueles passeios que vocês nunca fazem juntos: tomem um chá da tarde fora, visitem os pontos turísticos da cidade, ou peguem a estrada só para comer na lanchonete incrível da cidade vizinha.

Sessão de fotos

O casamento passou e vocês nunca mais tiraram fotos legais juntos? Uma sessão de fotos romântica é sempre muito divertida! Contrate um fotógrafo por duas horinhas, não precisa gastar muito. E não vale ter vergonha, é um momento para vocês curtirem e guardarem ótimas recordações.

presente-dia-dos-namorados

Renove seus votos

Preciso reconhecer que no dia a dia reclamo com o marido muito mais do agradeço. Com o tempo, vamos esquecendo daqueles votos ditos lá atrás, no dia do casamento, e focamos na roupa suja que ficou pelo chão ou na toalha molhada jogada na cama. Aproveite o dia para renovar seus votos e dizer em voz alta os motivos que te fazem querer o marido/esposa sempre por perto. Um dia ainda vou renovar meus votos em uma mini cerimônia na igreja, só com a família. Se isso não for possível agora, crie um momento para vocês dois e renove seus votos. Pode ser um piquenique no quintal, um pôr-do-sol com vinho, uma canga no parque.

Vamos amar, minha gente <3

Beijos!

Panquecas para o café | Cozinha Possível

Essa receita de panquecas é infalível e vai dar certo até para quem não tem experiência na cozinha. Faço essas panquecas há anos e elas até já apareceram no blog ano passado. Resolvi gravar o passo a passo em vídeo para mostrar que é moleza virar as panquecas na frigideira e fazer um café da manhã de rainha!

IMG_5517

Ingredientes:

1 xícara de leite
1 ovo
2 colheres de sopa de óleo
gotinhas de essência de baunilha
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de fermento químico em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 xícara de chá de farinha de trigo

Bata todos os líquidos no liquidificador ou no mixer. Acrescente o açúcar, o fermento e o bicarbonato. Vá adicionando a farinha aos poucos. Aí é só levar para a frigideira em fogo baixo. Quando a panqueca encher de bolhas, é hora de virar.

panquecas

Eu gosto de fazer uma pilha de panquecas no prato e comer com manteiga, mel ou frutas. Ou tudo isso misturado. Você também pode servir com banana, melado de cana, calda de chocolate ou o que preferir. Seu café da manhã está garantido com essa receita de panquecas.

panquecas

O passo a passo completo está no canal no Youtube, é só clicar abaixo para assistir:

 

Beijos!

Restaurantes em NY

Fiz um resumo com os melhores restaurantes visitados na nossa viagem de Nova York para ajudar quem estiver montando o roteiro. Nossa viagem foi bem econômica, então não espere lugares sofisticados, ok? Eu gosto mesmo é de massa, torta, pizza e sorvete! Dá para economizar bastante com alimentação em NY, é só pesquisar as recomendações de sites e evitar lugares muito badalados. Conseguimos encontrar restaurantes e lanchonetes deliciosos a preços bem razoáveis, sem apelar para redes de fast food a cada refeição. Confira os restaurantes em NY que provei e recomendo!

Junior’s

Restaurante dos anos 50 super tradicional, naquele estilo de filme americano, sabe? O cheesecake é considerado o melhor de Nova York e realmente é maaaravilhoso! Tivemos que repetir a visita só para comer a sobremesa novamente. O cardápio é enorme e tem sanduíches, massas, carnes na churrasqueira, café da manhã, além de inúmeros sabores de cheesecake.

Nossa primeira visita foi na unidade do Brooklyn (386 Flatbush Avenue), que é bem grande e tem decoração tradicional. A minha preferida! Pedimos uma costelinha com batatas e mac and cheese. De entrada, serviram pães, coleslaw, picles e beterraba em conserva. Tudo muuuuito gostoso e dá para dividir em duas pessoas tranquilamente.

restaurantes-em-ny Olha o tamanho desse cheesecake! E vem com morangos inteiros:

restaurantes-em-ny

Depois fomos ao Junior’s da Times Square (1515 Broadway), que tem uma lojinha ao lado só de cheesecake. Pedi um frango com purê de batatas e vagem, que salva a vida quando você não aguenta mais hambúrgueres e pizzas.

restaurantes-em-ny

Panna II Garden (93 1st Ave)

restaurantes-em-ny

Imagine o caos completo: pouco espaço, muita gente, música alta e milhares de luzes. Esse é o cenário do restaurante indiano que está fazendo o maior sucesso em NY. O lugar não é novo (foi inaugurado em 1990), mas virou febre no East Village. Esse bairro, aliás, é muito animado e tem várias opções de restaurantes e bares. Ele fica próximo à New York University e deu para perceber o clima bem universitário, com jovens na rua à noite, pubs, etc.

Quando chegamos ao Panna II, já esperávamos uma bela fila na porta e foi o que encontramos. O lugar é minúsculo e muito concorrido, então esperamos uns 40 minutos por uma mesa. A fila não tem controle nenhum: o dono do restaurante fica na porta gritando: “você aí, pode entrar!”. De fora, já dá para perceber a loucura que vai ser o jantar. A decoração é feita com milhares de luzes de Natal coloridas. Quando digo milhares, é algo do tipo: você precisa se curvar para andar pelo restaurante, ou vai enroscar o cabelo em algum fio de lâmpadas.

Pedimos um frango ao curry e um filé com cogumelos. Os dois pratos tinham o mesmo gosto: pimenta, hahahah! Os pratos são pequenos e vêm acompanhados de arroz. Ficamos em uma mesa perto da porta e o dono mandou meu marido se levantar 3 vezes durante o jantar para passar cadeiras, abrir o armário, etc. De tempos em tempos, eles apagam as luzes e tocam uma música altíssima. Ou seja, não espere ter uma noite tranquila. O lugar está na moda e muita gente ama a experiência, mas não é um lugar onde eu voltaria. Em comparação aos outros restaurantes em NY que conhecemos, dou nota 6 para a comida. Lembrando que não conheço nada de culinária indiana.

Artichoke Pizza

restaurantes-em-ny

Pizzaria famosa pela pizza de alcachofra, tem unidades em vários pontos de NY. Fomos na do Greenwich Village (, bem perto da NYU. O lugar é pequeno e tem só duas mesas e dois balcões, mas você sempre pode pegar a pizza e sair caminhando pelo bairro, que é muito animado. Essa rua tem vários bares e restaurantes e, por ser pertinho da universidade, é bem movimentava.

Eu adoro alcachofra, mas nunca tinha pensando em uma pizza com esse sabor! O engraçado é que eles usam molho branco no lugar do tomate. Pedimos uma fatia de alcachofra e uma de peperoni. Eu gostei mais da de peperoni, justamente por ter molho vermelho. Pizza com molho branco me parece mais um crepe, sabe? Mas a de alcachofra também é bem gostosa.

Panera Bread

 

Rede de sanduíches e sopas com unidades espalhadas em vários pontos de NY. Nada melhor que uma sopa nos dias frios que pegamos por lá! Provamos a de brócolis com cheddar e a de cebola francesa. Gostei muito das duas! O melhor é que você pode fazer combos com sopa e sanduíche ou salada. Um dia pedi um sanduíche de pimentão e queijo maravilhoso! No outro fui de salada, que também estava ótima. É uma opção de fast food mais saborosa que Mc Donalds ou Burguer King e mais barata que restaurantes convencionais. Também paramos em uma loja da rede para tomar café da manhã e tudo estava muito gostoso. Comemos cinnamon roll e um “suflê” de espinafre mára! Se esbarrar em uma Panera Bread na busca por restaurantes em NY, vale à pena entrar.

Eataly (200 Fifth Avenue)

restaurantes-em-ny

O Eataly existe em várias partes do mundo, inclusive em São Paulo, e é um enorme mercado com vários tipos de produtos italianos, como massas, molhos, pães, chocolates, sorvetes, etc. É um mercado lindo, com vários restaurantes dentro. No de NY tem o bar de Nutella, a sorveteria, a chocolateria, o café, o setor que servia peixes, um barzinho, e o restaurante de pizzas e massas. Esse último foi o nosso escolhido para um jantar e adoramos! Pedimos uma pizza maravilhosa, que serve duas pessoas. Para completar, uma lasanha. Achei a lasanha ok, mas meu marido amou. Como em quase todo lugar de Manhattan, pegamos fila na entrada. Essa foi tensa, ficamos uns 40 minutos esperando. O bom é que você pode conhecer as outras partes do mercado enquanto espera, e até provar outras comidinhas. Gostei muito e já quero conhecer o de SP!

Pete’s Grill (39-14 Queens Blvd)

Pete's grill

Aqui vai a dica não exatamente do Pete’s, mas dos restaurantes estilo diner, que servem comida bem americana: café da manhã completo, panquecas, sanduíches, nachos, etc. E tudo acompanhado de muito café! Tente visitar algum diner tradicional e prove um prato de ovos, bacon, salsichas e torradas, como esse aí da foto 🙂

Esse restaurante ficava bem perto do hotel e comemos por lá duas ou três vezes. O preço é muito bom, sem comparação com os restaurantes de Manhattan. Por mim, teria ido mais vezes. Eu amo esse estilo de comida com muito carboidrato, sabe? hahahah É a dica para quem quer gastar pouco, comer bem e se sentir em um seriado <3

Sorvetes/chocolates/salgadinhos

Adorei a experiência nos restaurantes que conhecemos em Nova York, mas eu gosto mesmo é das coisas gostosas vendidas em mercados e farmácias nos EUA. Planejo a viagem sonhando com os sorvetes e chocolates que vou encontrar por lá. Se você é como eu gosta de uma besteirinha, fique de olho nas gôndolas das farmácias e prove o que der vontade. Eu sou enlouquecida pelos sorvetes da Ben&Jerry’s e sempre tento provar um novo. O escolhido da vez foi o half baked, que mistura sorvete de chocolate e baunilha com brownies e massa de cookie. Geeeeente…sem palavras para descrever esse sorvete. Sabe aquela massa de biscoito da sua mãe que você roubava antes de ir ao forno? Então.

 

Se você quiser mais dicas de NY, gravei um vídeo falando um pouco sobre nossa experiência por lá, transporte público, aplicativos que ajudaram na viagem, e outras informações que podem ajudar. Lá no canal também postei três vlogs mostrando alguns passeios que fizemos para ajudar a montar seu roteiro! Se tiver curiosidade, é só dar o play abaixo:

Agora é esperar pela próxima viagem!

Beijos!