Por que eu não quero presentes de Natal?

Lembro a ordem exata dos acontecimentos: vi luzes coloridas no céu, a campainha tocou e um saco vermelho apareceu na porta de casa. O que mais poderia ser em plena véspera de Natal? Papai Noel, obviamente, passou voando no trenó iluminado, chamou o elevador do prédio e deixou nossos presentes. Ele saiu sem dizer ‘oi’, mas nem liguei. O importante era o que estava dentro do saco!

Por muitos e muitos anos, o Natal significou, para mim, muita expectativa para saber o que estava nos pacotes. Quantas e quantas vezes eu e minha irmã aproveitamos a ausência dos nossos pais para espiar os presentes no armário. Não podíamos mexer em nada, mas matar a curiosidade era suficiente. Natal era isso: ganhar coisas. Nunca liguei muito para a comida natalina, então nem isso competia com a ansiedade pelos presentes.

Meu primeiro Natal depois de formada, com um emprego de verdade, também foi uma loucura. Andava no shopping louca atrás de mais e mais sacolas. Eu era muito nova, tinha poucos gastos e nenhum plano para o futuro, então gastava sem dó. Acho que nunca dei tantos presentes na vida! Só não comprei mais porque recebia salário de iniciante (claro!) e tinha um limite.

já pensou em ter um

O tempo passou, eu percebi que estava acumulando muitas coisas e entrei na fase do destralhe. Aquilo me fez tão bem que não faria sentido voltar a consumir como antes. Reduzia as compras ao longo do ano, mas sempre chegava a hora do Natal. A lista de presenteados foi diminuindo ao longo dos anos, assim como a cota de gastos para cada presente.

Virou uma obrigação. Eu tinha que comprar algo para a minha irmã porque sabia que ganharia um presente dela. Mesmo que meu pai estivesse com o closet lotado, eu precisava comprar uma camisa nova para não chegar de mãos abanando no jantar do dia 24.

Até que um dia minha vó me devolveu os presentes que eu tinha comprado para ela nas últimas datas comemorativas. Ela disse que não precisava de nada daquilo e que seria mais útil para mim, já que estou montando minha casa. Em vez de me ofender, fiquei muito feliz! Aquilo realmente me ajudou a montar o enxoval e a perceber que minha vó não estava preocupada com presentes. Ela só queria passar o Natal com a gente!

Pensei muito sobre isso e, conversando com a minha irmã, tomamos uma decisão para este Natal: nada de presentes! Nossos pais adoraram a ideia, assim como a minha sogra. Então ficou combinado: não vamos trocar presentes entre a família. No dia 24, vamos comer, beber e aproveitar a noite. E só 🙂

Essa não é uma decisão radical e já apareceram algumas exceções. Minha vó foi a primeira a dizer que está fora, hahahah. Ela não resiste às compras e, como faz há décadas, já deve estar planejando os presentes de cada filho e neto.  Vamos participar normalmente dos grupos de amigo oculto, já que essa é uma oportunidade incrível de rever amigos e confraternizar.

Minha mãe ficou com dó de deixar as crianças sem brinquedo, então elas também ficaram de fora do plano. Mas isso não significa que vamos gastar uma fortuna em brinquedos. Aliás, aqui em casa já compramos os (poucos) presentes que as crianças ganharão. Aproveitamos as promoções de novembro e conseguimos coisas ótimas entre R$ 30 e R$ 50. E não precisaremos enfrentar shoppings lotados em dezembro, o que já é um sucesso!

Foi um pouco difícil convencer o marido, mas ele gostou da ideia de economizar e acabou topando. É uma tentativa e ainda pode passar por ajustes, mas acredito que o Natal nunca mais será o mesmo aqui em casa. Se você não fica confortável com a ideia ou sabe que algum familiar vai se ofender se não ganhar uma lembrancinha, adapte a proposta.

Reduza o número de presenteados ou o valor de cada presente. Em vez de comprar, faça você mesmo alguns dos presentes. Que tal biscoitos, uma carta, um panetone decorado ou velas perfumadas? As ideias são infinitas, e eu recomendo esse sabonete esfoliante que ensinei por aqui.

O principal objetivo de tudo isso é focar no que realmente importa no Natal. Pra mim, é a reunião da família e a gratidão por tudo o que aconteceu no ano. Pra você, pode ser o nascimento de Jesus ou o momento de fazer o bem aos outros. Pense no que te faz bem de verdade e foque nisso. Com certeza suas melhores lembranças de Natal não envolvem presentes 🙂

Beijos!

Sobremesa de Natal: trufa de chocotone

Novembro nem chegou ao fim e eu já comi mais chocotones do que deveria. Tenho pavor das frutinhas do panetone, mas amo a massa com chocolate! Esses dias estava comendo (mais) uma fatia e lembrei de um docinho maravilhoso que fiz em 2013 nessa mesma época. É uma sobremesa de Natal fácil e deliciosa: trufa de chocotone!

Resgatei a receita e fiz nesse fim de semana. Uma receita rende várias trufas, mas acordei hoje e não encontrei mais nenhuma. Ou seja: ficou mára! Essa sobremesa de Natal é perfeita para quem não tem muitos dotes culinários, mas precisa levar uma contribuição no jantar do dia 24 ou almoço de 25. É garantida, não tem como dar errado!

Clique na primeira imagem para conferir o passo a passo completo em vídeo:

sobremesa-de-natal

sobremesa-de-natal

sobremesa-de-natal

Ingredientes:

400g de chocolate branco
200g de creme de leite (uma caixinha)
120g de chocotone (uma fatia grossa)
cacau para cobrir

Pode parecer pouco chocotone, mas garanto que o gosto dele fica bem marcado! Ah, e não precisa usar um chocotone caro nessa sobremesa de Natal. Eu usei um feito pelo Pão de Açúcar que é muito gostoso! Também sou fã do Tommy, que é um dos mais baratinhos do supermercado. Gosto desses bem tradicionais, sem recheios diferentes ou cobertura.

Se você fizer essa sobremesa de Natal, me conte como ficou! Deixe sua opinião ou dica nos comentários, eu vou adorar saber o que vocês acharam.

Beijos!

Segunda-feira da preguiça

Essa reta final de 2015 tem exigido mais energia e paciência que o normal. Eu, que nunca tive nada contra as segundas-feiras, ando com uma preguiça mortal a cada começo de semana. Estou em uma fase de transição que está durando (muito) mais que o esperado, e não vejo a hora de me estabilizar. Enquanto isso, tento contornar a preguiça de segunda-feira com um pouco de organização e disposição.

O que me ajuda a animar a segunda-feira:

  • Arrumo um incentivo para acordar cedo. Trabalho à tarde e à noite, então não tenho horário certo para acordar. Quando durmo até tarde, a preguiça é inevitável. Para servir de estímulo, tento marcar ou resolver algo pendente. Consulta médica, supermercado, resolver coisas na rua. Qualquer coisa vale!
  • Reservo tempo para ler. Ler me acalma e distrai, então é algo que sempre faço para não entrar de cara no ritmo acelerado da semana. Nos outros dias, o trabalho aperta e nem sempre eu consigo ler como gostaria.
  • Meditação. Isso tem mudado as minhas manhãs. Fiz um curso em agosto e ainda estou aprendendo a meditar, mas já percebo os resultados. Geralmente não consigo meditar quando estou muito agitada. Na segunda-feira ainda estou tranquila, então é um ótimo dia para praticar.
  • Confiro as minhas finanças. Gosto de checar as minhas contas quase todos os dias, mas segunda-feira é essencial. É fácil perder o controle dos números no fim de semana, quando eu costumo gastar mais. Então aproveito para ver quanto tenho e quais contas precisarei pagar nos próximos dias.
  • Paciência. Gosto de segundas-feiras calmas. Terça, quarta e quinta podem ser tensas, mas gosto de tranquilidade às segundas e sextas. Não tenho controle sobre o que acontece no trabalho nem sobre os problemas da vida, então me esforço para não me deixar afetar. Paciência é algo que eu estou aprendendo a ter e isso me ajuda muito a manter a calma.

Desejo uma segunda-feira tranquila e de bons resultados pra vocês. Vamos pegar esse dia chatinho e animar as coisas! Se você também está ralando mais que o normal nesse fim de ano, calma! Logo chega a calmaria de janeiro. E eu estou ansiosa por esse momento, hahahah!

Beijos!

Atualização Project Pan

Há quatro meses, eu escolhi alguns produtos de beleza que estavam encostados na gaveta de maquiagem para usar até o final. É o tal Project Pan, que descobri em blogs americanos. A ideia é evitar o desperdício do que você já comprou e reduzir o consumo, já que você não vai precisar de um produto novo até acabar com o que tem em casa. Coloquei meu escolhidos em um local bem visível (para não esquecer de usar) e tive bons resultados!project-pan

Terminei o BB cream da L’oréal, que estava totalmente abandonado. Comprei muito animada com as resenhas da internet, mas a cobertura dele não é suficiente pra mim. É para quem tem a pele muuuito boa e quer só um leve “ajuste”. Como o efeito não é dos mais potentes, eu acabava deixando esse BB cream de lado quando me maquiava. Durante o projeto, eu dava uma caprichada no corretivo para amenizar a falta de cobertura dele. Deu certo e usei tudinho!

A base da Maybelline é da cor exata da minha pele e cobre bem, mas ela é voltada para peles oleosas. Minha pele é mista e eu moro em Brasília, onde a seca dura meses, então penei um pouco com essa base. Gravei o nome da cor para comprar futuramente outra base da marca, só que mais adequada à minha pele. Essa rendeu bastante e eu indico!

O bastão para os pés da Avon não fez muita diferença na minha vida. Mas, já que tinha comprado, usei até o final. Quem mora em clima seco sabe como é difícil encontrar produtos que realmente hidratem. Esse pode funcionar para pessoas de várias regiões, mas aqui onde eu moro é bem complicado.

Agora vamos aos itens que ainda não acabaram, mas tiveram bom avanço:

Quebrei a tampa desse batom da Revlon, então não consigo levá-lo na bolsa quando saio. Isso me limita um pouco, então resolvi acabar logo com ele. Deixei no topo da pilha e usei várias vezes. Já já ele termina!

O lápis de sobrancelha da Vult é muito bom, mas ganhei um kit da Anastasia e troquei de vez. Estou tentando reduzir ao máximo as minhas maquiagens e manter só um item de cada (na medida do possível). O kit resolveu a minha vida, por isso não preciso de duas opções para sobrancelhas. O lápis foi o escolhido para entrar no project pan e está no finalzinho. Daqui a pouco não consigo nem apontar!

O mais chatinho tem sido o lápis preto da Dior. Encontrei outros melhores e deixei ele de lado. O tempo passou e o coitado ficou lá esquecido. Usei bastante, mas ele está resistindo. Agora falta pouco.

Em resumo, adorei ter começado o project pan e não pretendo parar. Estou conseguindo reduzir e organizar melhor meus produtos de beleza, o que facilita demais a vida. Aconselho todo mundo a entrar no projeto, mesmo que você não queira tirar foto das suas coisas. Escolha alguns produtos e lembre-se de usá-los sempre.

Você pode redescobrir maravilhas que estavam escondidas na gaveta! Se isso não acontecer, vai evitar o desperdício de produtos. Lembrando que você pode doar, mas é um pouco complicado quando a maquiagem já foi usada, né? Dependendo do produto eu acho que não rola.

Espero reduzir ainda mais a quantidade de produtos de beleza com o tempo. Se você se animar a entrar no project pan, me conta aqui! É sempre bom trocar experiências com alguém 🙂

Beijos!

Minha bolsa: versão minimalista

Você já deve ter visto alguns vídeos com a TAG O que tem na minha bolsa, certo? Eu consegui reduzir muito a quantidade de itens que carrego diariamente e achei que seria bom passar as dicas adiante. Gravei uma versão minimalista da TAG mostrando o que eu levo hoje em dia. Há alguns anos, esse vídeo seria bemmm mais longo!

Como a maioria das mulheres, eu tinha o hábito de levar “a vida” na bolsa, caso tivesse alguma emergência. Depois de anos, vi que as emergências quase nunca apareciam e, quando surgia algum imprevisto, não era a bolsa que me salvava. Cansei de carregar o peso de agendas, maquiagens esquecidas, papéis e documentos desnecessários.

Levo apenas o que eu preciso. Você pode sentir falta de algumas coisas essenciais, como escova de dentes, hidratante, etc. Eu reparei que acabava usando esses itens só enquanto estava no trabalho, nunca no meio da rua. Então deixo na gaveta da minha mesa vários quebra-galhos; adoçante, cremes, escova, grampos, lenço de papel, etc. Se você passa a maior parte do tempo na rua, terá que adaptar sua bolsa.

A proposta aqui é parar para pensar na utilidade dos nossos pertences e avaliar a necessidade de carregá-los todos os dias. Garanto que depois desse vídeo você vai conseguir tirar pelo menos um chiclete vencido da sua bolsa! Espero que gostem dessa versão minimalista da TAG 🙂

Aproveite para se inscrever no canal e receber os vídeos!

bolsa minimalista

Beijos!

Lavanderia organizada IDEIAS

Nosso futuro apartamento é bem pequeno: pouco mais de 50 metros quadrados. Todos os cômodos são reduzidos, mas um dos que mais perderam espaço em relação aos apartamentos antigos é a lavanderia. Na casa dos meus pais, a área de serviço tem espaço para máquina, tábua de passar, varal, tanque, lixeira, etc. Na nossa casinha, teremos a máquina, um tanque pequeno, e olhe lá!

Manter a lavanderia organizada é crucial em espaços pequenos, por isso fui atrás de ideias para o cômodo. A cozinha e a área de serviço são praticamente juntas, a única divisão será um vidro entre o forno e a máquina de lavar. Vou tirar o tanque que será entregue pela construtora (branco, tradicional) e colocar um de inox instalado na pedra. Achei melhor assim porque sobra espaço para um armário extra, que pretendo usar com produtos de limpeza. O projeto é bem parecido com o da foto abaixo:

lavanderia-organizada

Vamos comprar uma lava e seca para facilitar na hora de lavar lençol, toalhas e outros tecidos maiores. Não quero usar a secadora para roupas, então estou quebrando a cabeça para encontrar o lugar do varal. Vai ter que caber em algum lugar, heheheh! Descartei o varal de chão porque ele passaria boa parte do tempo no meio da sala ou do quarto. Fiquei na dúvida sobre a bagunça! Alguém usa e recomenda?

lavanderia-organizada  lavanderia-organizada

Gosto muito da ideia de instalar uma arara na área de serviço! Dá para pendurar as camisas que precisam ser passadas e evitar que elas amassem muito no cesto. Isso sim é lavanderia organizada 🙂

Estão vendo os tanques em inox? São várias opções de tamanhos e gosto muito da aparência.

lavanderia-organizada lavanderia-organizada

Quando estava planejando a área de serviço, fiquei na maior dúvida sobre a tábua de passar. Não teríamos espaço para fazer um armário que coubesse uma tábua tradicional e eu não tenho muita paciência para montar e desmontar aquele “trambolho” toda hora. Pesquisando, encontre uma tábua de parede. Você fixa a estrutura na parede e a parte de madeira fica dobrada, sem ocupar muito espaço. Para usar, é só levantar a tábua. Adorei a ideia e pedi de presente. Ela ainda não está instalada (falta pouco!), mas acho que foi a melhor opção para nós. Encontrei uma foto para mostrar melhor como funciona:

lavanderia-organizada

E você, como mantém sua lavanderia organizada? Me mande suas dicas, estou precisando muito!

Beijos!

Como fazer sabonete esfoliante

Encontrei uma receita muito fácil de sabonete esfoliante no micro-ondas e fiquei louca para testar. Como era a minha primeira vez nesse campo dos sabonetes, imaginei que não daria tão certo. Mas me surpreendi com o resultado. Você vai precisar de alguns ingredientes e quase nenhuma habilidade, garanto!

Esse sabonete é feito com óleo de coco, um hidratante maravilhoso. Eu estou usando óleo de coco no cabelo e tenho achado melhor que muitos óleos de marcas famosas. Ele funciona também na cozinha. Até mostrei para vocês uma receita natural de pipoca doce com ele. Vou pesquisar mais utilidades para esse produto incrível, estou muito animada com ele.

O esfoliante desse sabonete fica por conta do açúcar. Quem nunca fez uma misturinha caseira de mel e açúcar para passar no rosto? A sensação é deliciosa! Em vez de comprar aqueles esfoliantes caríssimos das lojas de produtos de banho, você pode fazer uma versão natural igualmente cheirosa. Lojas de artesanato vendem todos os tipos de essência, inclusive de marcas famosas.

Dá para presentear as amigas com seu cheiro preferido nesse Natal :). Se você está em busca de uma lembrancinha útil e fofa para dar de presente, acabou de encontrar! Faça o teste e me mande fotos dos seus sabonetes.

Gravei o passo a passo completo de como fazer sabonete no micro-ondas:

como-fazer-sabonete

Beijos!

Acabou o desafio sem compras!

Acaboooou! Ontem foi o esperadíssimo fim do Desafio 30 dias sem compras, criado pelo pessoal do Tem Açúcar. Estou há bastante tempo sem compras roupas e sapatos, então achava que seria moleza. Mas é só falar que algo está “proibido” e surge a maior vontade de contrarias as regras…hehehehe. Continuei sem comprar objetos pessoais, acessórios, e coisas do tipo.

shopping-606993_1920

Difícil mesmo foi ficar sem os livros. Aproveitei para experimentar um mês gratuito do Kindle Unlimited, que te permite baixar quantos e-books quiser. Foi ótimo para evitar o gasto com livros, mas ainda não decidi se vou assinar o serviço de vez. Certamente seria uma bela economia, mas não deixa de ser um gasto fixo no mês. Veremos.

Como falei no meio do desafio, não encontrei uma saída para presentes. Tive aniversários, chá de bebê e de panela de pessoas muito queridas. Impossível chegar de mãos abanando! Gastei sem medo de ser feliz e não me arrependi. Ainda não me desapeguei a ponto de cancelar os presentes.

As lojas virtuais também me perseguem. No dia 11, faltando pouco para acabar o desafio, um colega vem me avisar que é dia de liquidação total no Aliexpress, aquele site chinês cheio de quinquilharias imperdíveis. Continuei firme, até que apareceu uma giga propaganda do site no meio do que eu estava fazendo ¬¬. Digitei “microfone de lapela”, um produto em que estou de olho, e logo fechei o site. Vamos evitar problemas, né?

Estou muuuito interessada em uma máquina fotográfica e tenho pesquisado sobre alguns modelos. Na semana uma passada, uma pessoa veio DO NADA e disse que estava vendendo uma máquina novinha, do jeito que eu procuro. Eu não tinha comentado nada com ninguém sobre esse desejo, foi uma coincidência maluca. Fiquei muito tentada, mas aproveitei a desculpa do desafio para pensar melhor. Não dá para fazer uma compra grande como essa por impulso, então foi algo positivo.

Aos 45 do segundo tempo, no sábado, furei o desafio. Estava fazendo um curso ao lado da Etna e fui procurar algumas peças de decoração para os vídeos. Encontrei dois em promoção e não tive dúvidas: comprei. Não pesou na consciência, fiquei muito tranquila com essas compras. Acho que é porque eu estava pesquisando há um bom tempo opções diferentes para os vídeos.

Percebo uma diferença grande quando compro algo depois de pensar bem no assunto. Quase nunca me arrependo da compra e costumo aproveitar bem o produto, tipo “fazer valer” o dinheiro. Já quando compro por impulso, o sentimento é outro. Um desânimo quando olho para a peça, aquele desespero ao ver que torrei dinheiro sem motivo. Logo penso: “isso me custou X horas de trabalho”.

Converter em horas trabalhadas é uma ótima maneira de me desestimular a comprar algo. Estou disposta a gastar 3 horas de trabalho em uma blusa? Geralmente a resposta é “não, hehehehe. Trabalho e viagens são os meus maiores estímulos para economizar, mas você pode encontrar o seu. Investir na educação dos filhos, trocar de carro, comprar um terreno, abrir uma empresa. Poupar para realizar um sonho é sempre melhor do que gastar com mil badulaques, certo? Acredito muito nisso 🙂

Com o fim do desafio, não pretendo enlouquecer e sair comprando o que estiver na frente. Vou continuar com a proposta de destinar meus recursos para o que realmente me faz feliz. É claro que na vida muito dinheiro vai para coisas “chatas”, como gasolina, prestação, seguro do carro, etc. Mas tudo isso está me ajudando a construir meu sonho. O foco é reduzir despesas para alcançar nossos objetivos o quanto antes.

Se você perdeu o desafio 30 dias sem compras, pode começar um projeto pessoal! Que tal aproveitar essa época de Natal para repensar as suas compras? Já já vou contar meus planos para a enxurrada de presentes de fim de ano.

Beijos!

Quanto custa comer fora?

Você sabe quanto custa fazer refeições fora de casa? Na hora de pagar a conta do restaurante, o valor pode até ser baixo, mas a soma de todos os lanches, almoços e jantares pesa no fim do mês. Esses dias li no Correio Braziliense que o brasileiro gasta, em média, R$ 27,63 por refeição. Para quem come fora todos os dias, é uma fortuna!

Eu sou muito econômica quando o assunto é comida, mas sei que a maioria das pessoas aprecia de verdade uma ida ao restaurante. Já gastei muito com lanchinhos fora de casa, e só parei quando entendi que tomar um picolé de R$ 5 por dia me custa R$ 150 por mês.

Não abro mão de comer algo gostoso ou ir a um restaurante encontrar amigos, mas realmente me incomoda gastar muito nessa área. Para você não achar que eu sou a maluca das economias bobas, um número: comer fora ficou 10% mais caro no último ano. Com essa inflação, o negócio é rever alguns hábitos e cuidar melhor da nossa alimentação.

E quanto custa tudo isso?

quanto-custa

A matéria que eu li mostra que nós estamos comendo cada vez mais fora de casa. Em 2002, 24% da renda da família ia para restaurantes. Em 2015, isso deve subir para 33%! Os motivos para o aumento são vários: muitas horas no trabalho, falta de tempo e busca por opções mais práticas.

A consequência, na minha opinião, é o descontrole total da nossa alimentação. Não dá pra saber quanto de óleo ou sal foi usado no preparo da comida, muito menos a origem do alimento. A lanchonete jura que a salada é toda orgânica, mas como ter certeza?

É impossível deixar de comer fora, mas dá para encontrar alternativas. Eu adotei a “lancheira de adultos”, aquela bolsinha térmicas mais discreta. A minha comporta até 4 potes quadrados e baixos (esse de guardar sanduíche, sabe?), o que é suficiente para a minha rotina de trabalho.

Preparar as comidas do zero diariamente é chato e toma muito tempo, por isso recorro aos congelados. Congelo tudo! Tenho até uma regra quando faço lasanha: duplico a receita, sirvo uma e divido a outra em porções individuais para congelar. E tudo o que sobra de alguma refeição vai para o freezer. Quando estou muito animada, faço uma leva de arroz/legumes/frango ou alguma outra combinação fácil e me abasteço para as semanas seguintes.

Eu fico até tarde no trabalho e não dou conta de sobreviver com as bobagens da lanchonete. Preciso de comida de verdade, então sempre carrego meus potes de congelados.

Mesmo que cozinhar não seja sua atividade preferida, pare para pensar em quanto custa comer fora. Anote os gastos e veja o que daria para fazer com aquele dinheiro. Quem sabe você não se anima a fazer suas marmitas caseiras?

Beijos!

Brigadeiro de limão siciliano

Amo brigadeiro caseiro feito com a receita mais tradicional possível: leite condensado+achocolatado+margarina. Mas resolvi testar uma variação do doce e troquei o chocolate por limão siciliano. Virou um brigadeiro de limão maravilhoso! Para quem não gosta de sobremesa muito doce, é uma ótima ideia. Gravei a receita completa:

miniatura

Ingredientes:

  • 1 lata/caixa de leite condensado
  • 1 colher de margarina
  • 1 limão (usei siciliano, mas você pode colocar qualquer um)

Gosto de fazer no microondas porque não suja panela, mas você pode cozinhar no fogão normalmente. Misturei o leite condensado com a margarina e levei ao microondas, parando de 30 em 30 segundos para mexer. Quando o brigadeiro fica muito quente, ferve e pode transbordar da vasilha, por isso tome vá parando aos poucos.

Ralei as raspinhas de todo o limão e usei a metade para tirar o suco. Na hora de misturar o suco com o leite condensado, tem o risco de talhar. Você pode esperar o leite condensado esfriar e dar uma amornada no suco de limão, no próprio microondas.

Eu ainda voltei com a mistura para o microondas porque queria chegar no ponto de enrolar. Reparei que a textura mudou, então recomendo que você dê o ponto no leite condensado antes de misturar o suco e as raspas. Mas fica a critério do chef!

Enrolei o brigadeiro de limão e passei no confeito branco. O meu ficou bem azedinho, do jeito que eu gosto :). Espero que vocês gostem do vídeo!

Beijos!