Organizando as finanças para 2016

Meus feeds do Facebook e do Youtube só falam em uma coisa: compras, compras e compras. Já pulei essa parte do meu Natal, como contei pra vocês, mas estava sentindo falta de organizar a minha vida financeira para 2016. Esse ano eu fui fiel à planilha de gastos e isso me ajudou muito. O início do ano foi bem bagunçado em relação aos gastos por conta do casamento, mas depois consegui “entrar nos eixos”.

Em vez de esperar dezembro acabar para pensar nas contas de 2016, que tal já deixar pronto um plano para o ano? Acredito que não tem hora certa para planejar as finanças, o importante é começar. Postei no Youtube um vídeo com algumas dicas e contando um pouco da minha organização para 2016.

Várias metas de ano novo exigem dinheiro, então a organização financeira é fundamental. De que adianta fazer mil planos, mas não saber como tirá-los do papel?

Clique na foto abaixo para assistir ao vídeo. Aproveite para se inscrever no canal 🙂

finanças-pessoais

Beijos!

 

Organizando sapatos

Sabe quando você não aguenta mais olhar para uma bagunça e resolve fazer uma limpeza geral? Fiz isso com os meus sapatos no último fim de semana. Já estava agoniada de ver meus sapatos largados, sem nenhuma organização. Mesmo tendo poucos pares, eles bagunçam com muita facilidade. Fora que as gavetas sempre ficam sujas e estava na hora de limpar tudo.

Gravei o processo para mostrar que foi muito rápido. Às vezes ficamos com preguiça de começar a organizar a casa porque achamos que vai demorar o dia todo. Claro que alguns setores da casa vão demandar mais tempo, mas sempre temos uma gaveta que pode ser organizada em minutos.

Para fazer a limpeza, usei a parte menor do aspirador portátil da Eletrolux e aquele multiuso caseiro que já ensinei por aqui. Mostrei também como fiz um sachê simples para tirar qualquer cheiro inconveniente dos sapatos.

Para assistir ao vídeo é só clicar na imagem:

SAPATOS (3)

Beijos!

O barato que sai caro…

… e o caro que sai caro mesmo! Vocês também têm dificuldade em identificar se um produto vale o preço cobrado? Eu me deixo seduzir facilmente por preços baixos, por isso já comprei muita coisa sem qualidade nessa vida. E o pior: repito o erro e volto a comprar em lojas de qualidade questionável quando aparece uma promoção.

Esse é um defeito que eu estou tentando mudar. No último Natal escolhi de presente uma sapatilha linda de uma loja “mediana”, mas muito convincente. Tá certo que usei bastante o sapato, mas em novembro a sola começou a descolar. Além disso, o material não é couro e mancha fácil. Ou seja, ela é bonita e foi barata, mas não durou nadinha…

Fui pesquisar preços e modelos de sapatos para substituir esse e decidi que não voltaria naquela loja, mesmo que a vitrine estivesse maravilhosa. Decidi também apostar em um modelo todo de couro para não ter mais problemas com manchas e desgaste antes da hora. Logo vi que o orçamento precisava aumentar e morri de dúvidas.

Até que ponto vale ser a louca da economia? Será que eu não estava deixando de comprar produtos de boa qualidade só para poupar alguns reais? Por outro lado, qual é o limite? Em que momento que custo/benefício deixa de valer e o sapato fica caro demais?

Tenho pensado muito no assunto e acho que dá para encontrar um meio termo. Na história do sapato, a solução que eu encontrei foi provar sapatos em uma loja onde eu não entraria antigamente (por pura teimosia), mas que está dentro das minhas possibilidades. Encontrei uma sandália confortável, toda de couro, ideal para trabalhar, e gastei 40% a mais do que gastaria antes.

Vi a foto da sandália por semanas até ir à loja e estou muito satisfeita com a minha decisão. Estou percebendo que minha teimosia em gastar menos pode se virar contra mim em certos momentos, então quero ficar mais atenta. Ainda não estou convencida a gastar rios de dinheiro em itens que não são importantes para mim (carro e bolsas, por exemplo), mas quero ser mais maleável.

Como vocês diferenciam o barato que sai caro e o caro que sai caro mesmo? Já desistiram de economizar em alguma coisa?

Mesa de Natal – Ideias de decoração

Já começou a pensar na decoração na sua meda de Natal? Como eu não vou gastar quase nada com presentes esse ano, não faria sentido exagerar nos gastos com decoração. Bolei algumas ideias com materiais simples, como cápsulas de café usadas e bolas natalinas. Gravei um vídeo mostrando o passo a passo dessas ideias e de uma massinha muito boa que imita biscuit. Dá para fazer vários enfeites com ela!

Clique na primeira imagem para assistir ao vídeo completo:

mesa-de-natal

mesa-de-natal mesa-de-natal mesa-de-natal decoração-de-natal

Ingredientes do falso biscuit:

2 xícaras de farinha
1 xícara de sal
1 xícara de água

É só misturar tudo e pronto! Para endurecer, deixe alguns minutos no forno (temperatura bem baixa).

Beijos!

O que você espera de 2016? Mensagem de ano novo

Com o início de dezembro, relembrei as resoluções que eu tinha feito para 2015 e fiquei feliz ao ver que muitas estavam resolvidas ou no caminho certo. Mas nem sempre foi assim. Na verdade, só nos últimos dois anos tive algum sucesso com as minhas metas de ano novo. Antes disso, fazia objetivos mirabolantes e deixava tudo de lado quando retomava a rotina. Afinal, por que desejamos tanto mudar de vida no último dia do ano e abandonamos os planos em seguida?

Por muito tempo, eu recebia o novo ano com a esperança de que “alguma coisa ia acontecer”. Não mudava nenhum hábito, não fazia nada novo para alcançar meus objetivos. Contava com a sorte e, claro, nem sempre dava certo. Só quando eu assumi a responsabilidade pelos meus desejos é que os planos começaram a se desenrolar.

mensagem-de-ano-novo
Oh So Lovely

Pare um minuto para pensar: O que eu fiz para atingir as minhas metas de 2015? Algum projeto importante ficou abandonado? O que eu deixei de fazer? No próximo dia 31 de dezembro, em vez de escrever apenas a lista de resoluções, aproveite para detalhar os primeiros passos que você pretende tomar para conquistar cada uma delas. A mensagem de ano novo é começar já 🙂

O sonho de comprar uma casa ficou de lado em 2015? Então já comece 2016 disposto a economizar e com um plano de ação definido. A família vai cortar X passeios por mês para economizar Y e, depois de Z meses, dar entrada no imóvel. O mesmo vale para todo objetivo que exija uma boa quantia de dinheiro; viagens, trocar de carro, reformar a casa.

Com o passar do tempo, as minhas resoluções de ano novo foram ficando menos materiais e mais ligadas a hábitos e comportamentos. E essas pedem muita dedicação. Se livrar de um hábito ruim ou adquirir um positivo não é fácil. Já li que você precisa repetir a atividade pelo menos 30 dias seguidos para que ela entre no “automático”. É nessa hora que eu desisto, enrolo ou mesmo esqueço da meta.

Se você passa mesma situação, comece a questionar algumas atitudes. Se tal pessoa não te faz bem, por que você ainda quer se aproximar dela? Se aquele hábito negativo te distancia de um sonho, por que levá-lo adiante?

Pense também nos projetos que ficaram abandonados ao longo dos meses. O que aconteceu? Medo, desânimo, rotina apertada, falta de dinheiro para continuar? Quantos projetos você já largou por causa dos problemas? Quando estou pensando em desistir de algo, me pergunto: daqui a um ano, eu gostaria de ter começado hoje? Se a resposta for positiva, esqueça os problemas e corra atrás da mudança de vida que você busca.

E não estou falando só de mudanças grandiosas na vida. Pequenas adaptações na sua rotina já podem significar mais tempo com a família, menos dinheiro gasto ou menos stress.

A minha mensagem de ano novo (adiantada) é: não deixe para pensar na sua vida no último dia do ano. Faça planos com calma, pense no que funcionou em 2015, no que pode ser mudado em 2016. Eu faço questão de colocar meus objetivos no papel e recorro a eles quando falta inspiração.

Estou muito satisfeita com as conquistas de 2015 e já comecei a fazer a lista de 2016. Mas essa eu mostro mais pra frente!

Beijos!

Vá de marmita!

Passo muitas horas fora de casa e, com isso, tinha a maior dificuldade em manter uma alimentação adequada. Depois que incorporei a marmita na minha vida, não quero saber de outra coisa! Não tenho hora certa para sair do trabalho, então ficava refém das poucas opções da lanchonete até altas horas da noite. Logo me cansei e vi que precisava levar minhas comidinhas.

No ano passado, ganhei uma lancheira térmica e o esquema ficou ainda mais fácil! Cozinho, congelo as porções e na hora é só montar a bolsa com o que eu quiser. Gravei um vídeo mostrando a lancheira e falando um pouco das comidas que eu costumo congelar. Assista clicando na imagem abaixo:

marmita

O que você costuma levar para comer no trabalho? Estou sempre em busca de receitas novas para congelar, vou adorar sua dica!

E aproveite para se inscrever no canal e receber os vídeos com antecedência lá no Youtube 🙂

Beijos!

Cozinha pequena, como resolver?

Meu futuro apartamento tem pouco mais de 50 metros quadrados, ou seja, todos os cômodos são bem reduzidos. O lugar onde eu morei a minha vida toda é bem espaçoso, então nunca precisei me esforçar muito para adaptar as coisas. Com a nova realidade, tive que quebrar a cabeça para encaixar tudo o que eu queria em pequenos espaços. Em meses de pesquisas pela internet, cheguei a algumas ideias que quero dividir com vocês.

Enquanto a entrega do apartamento continua enrolada, vou mostrar aqui o projeto de cada cômodo. Não fizemos projeto com arquiteto, mas o pessoal da marcenaria desenhou tudo e dá pra ver direitinho como vai ser cada cômodo. Vamos começar pela cozinha, que deu um belo trabalho para todos. Ela é estilo corredor, com a lavanderia nos fundos.

O gás é encanado, o que limita a posição do fogão para a área onde está o cano. Não quero mexer em tubulação, por isso a pia e o tanque continuarão no mesmo lugar. Definidos os lugares da geladeira e da lava e seca, ficou faltando a lava louça. É difícil ter uma cozinha pequena bem equipada! Mas descobri um modelo pequeno da Consul e encontramos um cantinho pra ela ao lado do tanque. A lateral da cozinha ficou assim:

cozinha-pequena

Nessa imagem a lava louça ainda estava perto da pia, mas tiramos as medidas e vimos que não vai caber, por isso mudamos. Esse buraco perto do tanque é o espaço da lava e seca. Ela vai ficar no chão mesmo, sem a soleira que tem no resto da bancada. Tem um ralo ali embaixo do armário do tanque, então não quisemos fechar. As portas de armário que parecem cinza, na verdade são de vidro branco. As outras são todas brancas, com a lateral em madeira. Na lavanderia, é tudo branquinho.

Gostei muito do resultado dessa lateral, mas tinha um problema: fiquei sem bancada para preparar as comidas, usar o liquidificador e coisas do tipo. Então aproveitamos o outro lado da cozinha pequena para instalar uma bela bancada. Eu nunca quis balcão para refeições, então foi fácil fazer a troca. Fizemos um armário com gavetas para talheres, prateleira para deixar potes de mantimentos e mais armários para guardar tudo o que não couber do outro lado 🙂 Ficou assim:cozinha-pequena-planejada

Na bancada pretendo deixar os eletrodomésticos mais usados, tipo mixer, cafeteira e torradeira. Gostei muito dessa solução para uma cozinha pequena e não vejo a hora de usar a bancada para preparar vários pratos 🙂 Nesse cantinho perto da janela quero instalar a tábua de passar e o varal. Com as portas abertas, essa lateral da cozinha ficou assim:

projeto-cozinha-pequena

Depois desse projeto, vi que é possível ter uma cozinha pequena funcional e prática! Agora só falta tudo sair do papel e o apartamento ficar pronto, heheheh. A situação está bem complicada, mas sei que na hora certa terei minha casinha.

Os armários do restante da casa já estão prontos, mas os da cozinha ainda podem ser alterados. Por isso quero dicas! O que funciona na cozinha de vocês? Como vocês aproveitam o espaço? Me contem aqui 🙂

Beijos!

Aproveite a vida sem compras

O que você faz quando não está gastando? Já parou para pensar em quanto as atividades que não custam nada podem ser prazerosas? Hoje descobri um projeto incrível do site The Story of Stuff Project, que recomendo muito para quem também está nessa fase de redução do consumo. Eles estão propondo que você poste fotos mostrando como você aproveita essa época do ano sem comprar presentes.

Pessoas de todos os lugares do mundo estão mandando fotos inspiradoras e você pode fazer o mesmo! Se você tem alguns dias de recesso e quer fugir de shoppings lotados, pode buscar inspiração na galeria. Tem gente cozinhando, fazendo artesanato, passeando com o cachorro e outras mil coisas. A ideia é mostrar tudo aquilo que você pode fazer usando o tempo que gastaria com compras.

Olha quantas coisas incríveis as pessoas estão fazendo ao redor do planeta:

Walk-on-the-beach image65 WP_20141229_09_49_30_Pro bike

Ficou inspirado para fazer algo diferente em dezembro? Eu amei a ideia e já quero mandar mil fotos! É só entrar nessa página e mandar sua foto 🙂

Se você ainda não leu o post com a nossa conversa sobre presentes de Natal, aproveite e clique aqui. É uma reflexão rápida sobre o consumo louco dessa época do ano e a obrigação de trocar presentes. Minha família aboliu essa ideia e estão todos satisfeitos com a escolha 🙂

Beijos!

Como economizar dinheiro para VIAJAR

Eu economizo em muitas áreas da vida, mas tem uma coisa que me faz gastar sem dó: viagens! Acho que viajar é uma das melhores formas de gastar nosso dinheiro. Mas ninguém aqui é a Lala Rudge, então precisamos nos organizar financeiramente antes de uma viagem mais cara. Quero passar algumas dicas de como economizar dinheiro que funcionam muito bem comigo e pode ser úteis para vocês!

Minha amiga Marina, que já viajou o mundo todo, também falou um pouco sobre como economizar dinheiro. Ela está planejando uma grande viagem e você pode saber mais no blog dela: http://meumundoquintal.blogspot.com.br/

Aproveite para se inscrever no canal e receber os próximos vídeos, sempre às terças e quintas 🙂

como-economizar-dinheiro

Beijos!

Por que eu não quero presentes de Natal?

Lembro a ordem exata dos acontecimentos: vi luzes coloridas no céu, a campainha tocou e um saco vermelho apareceu na porta de casa. O que mais poderia ser em plena véspera de Natal? Papai Noel, obviamente, passou voando no trenó iluminado, chamou o elevador do prédio e deixou nossos presentes. Ele saiu sem dizer ‘oi’, mas nem liguei. O importante era o que estava dentro do saco!

Por muitos e muitos anos, o Natal significou, para mim, muita expectativa para saber o que estava nos pacotes. Quantas e quantas vezes eu e minha irmã aproveitamos a ausência dos nossos pais para espiar os presentes no armário. Não podíamos mexer em nada, mas matar a curiosidade era suficiente. Natal era isso: ganhar coisas. Nunca liguei muito para a comida natalina, então nem isso competia com a ansiedade pelos presentes.

Meu primeiro Natal depois de formada, com um emprego de verdade, também foi uma loucura. Andava no shopping louca atrás de mais e mais sacolas. Eu era muito nova, tinha poucos gastos e nenhum plano para o futuro, então gastava sem dó. Acho que nunca dei tantos presentes na vida! Só não comprei mais porque recebia salário de iniciante (claro!) e tinha um limite.

já pensou em ter um

O tempo passou, eu percebi que estava acumulando muitas coisas e entrei na fase do destralhe. Aquilo me fez tão bem que não faria sentido voltar a consumir como antes. Reduzia as compras ao longo do ano, mas sempre chegava a hora do Natal. A lista de presenteados foi diminuindo ao longo dos anos, assim como a cota de gastos para cada presente.

Virou uma obrigação. Eu tinha que comprar algo para a minha irmã porque sabia que ganharia um presente dela. Mesmo que meu pai estivesse com o closet lotado, eu precisava comprar uma camisa nova para não chegar de mãos abanando no jantar do dia 24.

Até que um dia minha vó me devolveu os presentes que eu tinha comprado para ela nas últimas datas comemorativas. Ela disse que não precisava de nada daquilo e que seria mais útil para mim, já que estou montando minha casa. Em vez de me ofender, fiquei muito feliz! Aquilo realmente me ajudou a montar o enxoval e a perceber que minha vó não estava preocupada com presentes. Ela só queria passar o Natal com a gente!

Pensei muito sobre isso e, conversando com a minha irmã, tomamos uma decisão para este Natal: nada de presentes! Nossos pais adoraram a ideia, assim como a minha sogra. Então ficou combinado: não vamos trocar presentes entre a família. No dia 24, vamos comer, beber e aproveitar a noite. E só 🙂

Essa não é uma decisão radical e já apareceram algumas exceções. Minha vó foi a primeira a dizer que está fora, hahahah. Ela não resiste às compras e, como faz há décadas, já deve estar planejando os presentes de cada filho e neto.  Vamos participar normalmente dos grupos de amigo oculto, já que essa é uma oportunidade incrível de rever amigos e confraternizar.

Minha mãe ficou com dó de deixar as crianças sem brinquedo, então elas também ficaram de fora do plano. Mas isso não significa que vamos gastar uma fortuna em brinquedos. Aliás, aqui em casa já compramos os (poucos) presentes que as crianças ganharão. Aproveitamos as promoções de novembro e conseguimos coisas ótimas entre R$ 30 e R$ 50. E não precisaremos enfrentar shoppings lotados em dezembro, o que já é um sucesso!

Foi um pouco difícil convencer o marido, mas ele gostou da ideia de economizar e acabou topando. É uma tentativa e ainda pode passar por ajustes, mas acredito que o Natal nunca mais será o mesmo aqui em casa. Se você não fica confortável com a ideia ou sabe que algum familiar vai se ofender se não ganhar uma lembrancinha, adapte a proposta.

Reduza o número de presenteados ou o valor de cada presente. Em vez de comprar, faça você mesmo alguns dos presentes. Que tal biscoitos, uma carta, um panetone decorado ou velas perfumadas? As ideias são infinitas, e eu recomendo esse sabonete esfoliante que ensinei por aqui.

O principal objetivo de tudo isso é focar no que realmente importa no Natal. Pra mim, é a reunião da família e a gratidão por tudo o que aconteceu no ano. Pra você, pode ser o nascimento de Jesus ou o momento de fazer o bem aos outros. Pense no que te faz bem de verdade e foque nisso. Com certeza suas melhores lembranças de Natal não envolvem presentes 🙂

Beijos!