Estava muito curiosa para conhecer o tão comentado livro “A mágica da arrumação” (“The life-changing magic of tidying up”), da japonesa Marie Kondo. Ela propõe um método radical para destralhar a casa e a vida, e jura que funciona com todo tipo de cliente. Comecei meio desconfiada com tantas promessas, mas adorei!

marie-kondo-a-mágica-da-arrumação

 

O método me parece ideal para quem tem dificuldades em manter a casa organizada e se livrar do que não tem utilidade. A pessoa toma um choque de realidade ao ver todas as suas roupas em cima da cama e percebe que não precisa de tudo aquilo. É diferente de organizar uma gaveta por semana: você reúne todos os itens daquela categoria (roupas, utensílios domésticos, roupas de cama, livros, etc) em um mesmo espaço e tem a noção exata de quantos objetos possui. O sistema konmari vai na mesma direção da minha “política de compras/guarda”: objetos ocupam espaço e espaço custa dinheiro. Você deve estar disposto a pagar pelo espaço que aquele vestido novo vai ocupar no seu armário. Na cidade onde eu moro, espaço é algo cada vez mais raro e caro.

Pode ser um pensamento radical, mas faz todo o sentido para mim. Não preciso pagar por uma casa enorme se não tenho muitos objetos para guardar. Além da parte financeira, tem a questão da tralha acumulada. É inevitável amontoar roupas nunca usadas ou livros abandonados pela metade. Para mim, isso significa energia que deixa de circular e gera stress. Mesmo que você não acredite nisso, não tem como negar uma realidade: tralha junta poeira! Meu maior pesadelo são aquelas estantes com livros expostos. Minha rinite ataca só de pensar! Fora que livro foi feito para ser lido, e na estante ele perde sua utilidade. Mas meu pavor de livros físicos fica para outro texto :).

Voltando ao livro: o método konmari sugere que você destralhe sua casa de uma só vez. Sem essa de cômodo por cômodo: é em uma só tacada. Ela justifica que você precisa ver resultados imediatos para continuar animado com o destralhe, por isso tem que ser tudo de uma vez. A Marie Kondo não defende nenhum número ou meta específica, o que eu acho ótimo. Isso de “tenha X blusas e X pares de meias” não faz sentido pra mim, já que cada um tem seus próprios hábitos.

Comece se desfazendo das coisas. Jogar as tralhas naquele armário dos fundos de casa não resolve o problema, é preciso tomar decisões. Ela recomenda que você pegue cada item na mão e se pergunte se ele traz alegria. Não é se você pretende usar na próxima festa nem se quer mostrar para seus netos no futuro, é se HOJE aquele objeto traz alegria. Segundo Marie Kondo, só segurando a peça seu corpo vai reagir de forma positiva ou negativa. Olhando, para ela, não rola.

Outra dica importante é: não comece por itens com carga emocional, como fotos e cartas. Você vai começar a relembrar momentos e vai se perder no propósito do destralhe. A ordem recomendada por ela é: roupas, livros, documentos, komono (tralhas variadas), e só então vá para memórias.

Um conselho crucial que nunca funciona comigo é: não mostre os objetos descartados para sua família. Apesar de não usar o mesmo número que eu, minha irmã sempre pega metade das roupas que eu tiro para doação. Resultado: as roupas ficam mais alguns meses paradas no armário dela e eu, finalmente, consigo mandar para o bazar da igreja. Não lembro de ter visto minha irmã usando nem cinco peças que eram minhas. Quem morre de dó também é a minha mãe, que sempre recolhe os bloquinhos e canetas da pilha da doação. Resultado 2: uma prateleira cheia de cadernos com a única função de fazer a lista do supermercado. Sugiro a leitura do livro especialmente para quem mora com pessoas acumuladoras/bagunceiras.

A Marie Kondo explica que seus clientes nunca têm recaídas porque, depois de entenderem que dá para viver com menos, não voltam a acumular. O limite do descarte é um “clique” que ela garante que vai surgir quando você chegar na quantidade ideal de itens para a sua vida.

Ela dá dicas pontuais de organização de gavetas, roupas, e até meias, que podem ser muito úteis. Mas o que eu mais gostei foi da filosofia de vida da Marie: uma vida simples te aproxima da felicidade. Menos objetos demandam menos tempo de organização, menos limpeza, menos dinheiro, menos stress. Esse é o estilo de vida que eu venho buscando há um certo tempo! Ainda vou falar um pouco da minha caminhada no destralhe :).

Leiam o livro, se possível na versão digital hahahah!

“Uma reorganização dramática da casa provoca mudanças dramáticas no estilo de vida e na perspectiva. É transformador”. (Marie Kondo em tradução livre by Elisa).

Beijos!

3 comments on “Marie Kondo – A mágica da arrumação”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *