Categoria: Organização

Resenha: Equilíbrio e Resultado

Oi, gente!

No fim de semana terminei de ler um livro muito bom sobre produtividade. Equilíbrio e Resultado, do Christian Barbosa, fala sobre um problema que todo mundo já teve: a procrastinação. Por que as pessoas não fazem o que deveriam fazer? Esse é o principal questionamento do livro. Já comecei a pensar em tudo o que deveria fazer e deixo para um futuro distante: exercícios físicos, curso de meditação, acordar mais cedo, melhorar a alimentação, etc. Disciplina não tem muito espaço na minha vida, mas estou aprendendo a mudar isso.

Procrastinar tarefas importantes tira nosso equilíbrio, já percebeu? Nos sentimos culpados por adiar o trabalho e continuamos com aquele problema martelando a mente. O segredo, segundo o autor é dar o primeiro passo sem pensar na jornada e nas possíveis dificuldades. Ou seja, não sofrer antes da hora. Também não adianta colocar todos os esforços na vida profissional e fracassar em outras áreas. O livro fala que devemos buscar equilíbrio e resultado ao mesmo tempo. O autor fez um gráfico bem fácil de entender. Para saber em qual quadrante você se encontra, é só fazer um teste rápido no site do Christian.

FullSizeRender (4)

Eu acho que estou bem no comecinho do quadrante 4, no meio do gráfico, podendo aumentar bastante equilíbrio e resultados. Estou longe de ser conformada ou estressada, mas ainda faltam muitos avanços para eu me considerar realizada. O livro traz exemplos reais de pessoas em casa uma dessas categorias e instruções para caminhar em direção ao quadrante 4.

O autor fala que a principal dificuldade de colocar uma ideia em prática é vencer a preguiça e as dificuldades do caminho. O medo ainda me impede de fazer muita coisa; já penso em tudo que pode dar errado antes mesmo de começar. Quem é muito estressado também não sai do lugar: fica sem energia para ter ideias novas ou tirá-las do papel. Parece que o foco some quando nossa rotina está muito desgastante, vocês não acham?

Concordo quando ele fala que precisamos de metas/objetivos claros para chegar a algum lugar. Sem eles, ficamos perdidos no meio do caminho e perdemos tempo com tarefas desnecessárias para o alcance das metas. Por exemplo: é quase impossível ter força de vontade para juntar dinheiro só por juntar. Qualquer tentação vai fazer você sair da linha. Mas duvido que você compre um sapato novo sabendo que ele equivale ao berço do seu futuro filho. É só aplicar aquela regra da conversão :).

Se você conhecer melhor o autor, dê uma olhada no site dele. Ele posta vídeos e dicas para melhorar sua produtividade. Recomendo!

Beijos!

Destralhe do armário em 5 minutos

Oi, gente!

Aproveitei uma manhã livre para fazer um destralhe rápido no armário. Sempre tem alguma peça sobrando, mesmo que a gente faça limpezas constantes nas gavetas. Como eu trouxe roupas novas naquele bazar com as amigas, precisei separar algumas peças para doação. Em cinco minutos encontrei cinco itens que estavam abandonados, não eram usados há tempos. Vem ver como é fácil liberar um espaço no seu armário! Espero que seja útil :).

Beijos!

Organização do banheiro

Oi, gente!

Produtos de beleza sempre se multiplicaram no meu armário. Quando eu parava para contar, tinha mil cosméticos abertos no banheiro. É claro que não dava para usar tudo e a bancada da pia ficava uma zona. Tentei “organizar a bagunça” algumas vezes, mas isso não funciona para mim. Só o destralhe resolveu a situação do banheiro! Quero mostrar para vocês como organizo meus produtos de beleza e o espaço que eles ocupam atualmente. Não sei dizer se a quantidade está exagerada, mas é o que dá certo lá em casa.

FullSizeRender (1)

Aqui temos demaquilante, dois hidratantes, dois perfumes, desodorante, cotonete, fio dental, repelente, spray de cabelo, óleo e sérum para cabelo. Meu limite de espaço para produtos de uso constante é essa prateleira do armário. Na bancada do banheiro deixo escova e pasta de dentes, e sabonete facial.

No armário guardo secador, babyliss, toalhas e uma caixa com produtos fechados para substituir os que terminarem. Acabo fazendo estoque de algumas coisas quando viajo, então preciso reservar um espacinho para elas. Como esses produtos demoram a vencer, consigo usar tudo.

FullSizeRender (3)

Prefiro me arrumar no quarto, então deixo todas as maquiagens lá. Pente, escovas, grampos e outros itens de cabelo ficam em uma gaveta do banheiro. Consigo deixar quase tudo fora da bancada, o que facilita muito a organização e a limpeza.

E vocês, o que fazem para deixar os produtos do banheiro em ordem? Me contem nos comentários!

Beijos!

Como montar um orçamento doméstico

Oi, gente!

Demorei anos para me acostumar a colocar no papel meus gastos e rendas. Eu tinha uma noção de quanto poderia gastar no mês, mas vááárias vezes esqueci de contabilizar alguma parcela antiga e me perdi nas contas. Depois que assumi gastos maiores, como prestação de apartamento, condomínio e plano de saúde, não tive escolha. Montar um orçamento era a única saída para organizar minha vida. Sou péssima em Excel, então montei uma planilha simples no Google Drive. O bom é que posso acessá-la de qualquer lugar e atualizar os dados.

 

Tirei os números para não assustar ninguém com o valor das prestações, hahahah! Para quem sabe usar as equações do Excel, é só organizar de uma forma que o programa faça as contas por você. Eu sou péssima e faço tudo na calculadora mesmo. Separei por rendas (salário e aluguel), rendimentos e poupanças. Vocês podem ver que eu não separo gastos como gasolina, farmácia e supermercado. Passo tudo no cartão e vou controlando os extratos ao longo do mês. Aquele sistema de anotar absolutamente tudo (jantares, compras, padaria…) não funciona para mim por enquanto.

Se algum dia eu me complicar financeiramente, vou adotá-lo com certeza. Como vocês podem ver, pagamos as prestações de dois financiamentos ¬¬. Por isso tenho que deixar tudo muito bem organizado para evitar surpresas no fim do mês. As poupanças estão separadas porque têm objetivos diferentes. Uma delas não pode ser tocada e a outra funciona para metas de curto prazo. Essa planilha funciona para mim porque não tenho muitas contas nem filhos (escola, transporte, médicos, férias…). Se a sua vida é mais complexa, você pode usar planilhas ótimas com download grátis.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) disponibiliza um documento supercompleto. A opção intermediária é essa planilha da Fundação Itaipu, mais simples que a do Idec. Cada um tem um jeito próprio de organizar as finanças da casa, mas o importante não é o método escolhido. O essencial é controlar seus gastos e rendas para não perder o controle das coisas. Problemas financeiros atrapalham relacionamentos e tiram seu sono. Não compensa abrir mão dos seus planos por culpa da desorganização. Que tal testar essas planilhas e ver qual funciona melhor para você?

Beijos!

FullSizeRender

Marie Kondo – A mágica da arrumação

Estava muito curiosa para conhecer o tão comentado livro “A mágica da arrumação” (“The life-changing magic of tidying up”), da japonesa Marie Kondo. Ela propõe um método radical para destralhar a casa e a vida, e jura que funciona com todo tipo de cliente. Comecei meio desconfiada com tantas promessas, mas adorei!

marie-kondo-a-mágica-da-arrumação

 

O método me parece ideal para quem tem dificuldades em manter a casa organizada e se livrar do que não tem utilidade. A pessoa toma um choque de realidade ao ver todas as suas roupas em cima da cama e percebe que não precisa de tudo aquilo. É diferente de organizar uma gaveta por semana: você reúne todos os itens daquela categoria (roupas, utensílios domésticos, roupas de cama, livros, etc) em um mesmo espaço e tem a noção exata de quantos objetos possui. O sistema konmari vai na mesma direção da minha “política de compras/guarda”: objetos ocupam espaço e espaço custa dinheiro. Você deve estar disposto a pagar pelo espaço que aquele vestido novo vai ocupar no seu armário. Na cidade onde eu moro, espaço é algo cada vez mais raro e caro.

Pode ser um pensamento radical, mas faz todo o sentido para mim. Não preciso pagar por uma casa enorme se não tenho muitos objetos para guardar. Além da parte financeira, tem a questão da tralha acumulada. É inevitável amontoar roupas nunca usadas ou livros abandonados pela metade. Para mim, isso significa energia que deixa de circular e gera stress. Mesmo que você não acredite nisso, não tem como negar uma realidade: tralha junta poeira! Meu maior pesadelo são aquelas estantes com livros expostos. Minha rinite ataca só de pensar! Fora que livro foi feito para ser lido, e na estante ele perde sua utilidade. Mas meu pavor de livros físicos fica para outro texto :).

Voltando ao livro: o método konmari sugere que você destralhe sua casa de uma só vez. Sem essa de cômodo por cômodo: é em uma só tacada. Ela justifica que você precisa ver resultados imediatos para continuar animado com o destralhe, por isso tem que ser tudo de uma vez. A Marie Kondo não defende nenhum número ou meta específica, o que eu acho ótimo. Isso de “tenha X blusas e X pares de meias” não faz sentido pra mim, já que cada um tem seus próprios hábitos.

Comece se desfazendo das coisas. Jogar as tralhas naquele armário dos fundos de casa não resolve o problema, é preciso tomar decisões. Ela recomenda que você pegue cada item na mão e se pergunte se ele traz alegria. Não é se você pretende usar na próxima festa nem se quer mostrar para seus netos no futuro, é se HOJE aquele objeto traz alegria. Segundo Marie Kondo, só segurando a peça seu corpo vai reagir de forma positiva ou negativa. Olhando, para ela, não rola.

Outra dica importante é: não comece por itens com carga emocional, como fotos e cartas. Você vai começar a relembrar momentos e vai se perder no propósito do destralhe. A ordem recomendada por ela é: roupas, livros, documentos, komono (tralhas variadas), e só então vá para memórias.

Um conselho crucial que nunca funciona comigo é: não mostre os objetos descartados para sua família. Apesar de não usar o mesmo número que eu, minha irmã sempre pega metade das roupas que eu tiro para doação. Resultado: as roupas ficam mais alguns meses paradas no armário dela e eu, finalmente, consigo mandar para o bazar da igreja. Não lembro de ter visto minha irmã usando nem cinco peças que eram minhas. Quem morre de dó também é a minha mãe, que sempre recolhe os bloquinhos e canetas da pilha da doação. Resultado 2: uma prateleira cheia de cadernos com a única função de fazer a lista do supermercado. Sugiro a leitura do livro especialmente para quem mora com pessoas acumuladoras/bagunceiras.

A Marie Kondo explica que seus clientes nunca têm recaídas porque, depois de entenderem que dá para viver com menos, não voltam a acumular. O limite do descarte é um “clique” que ela garante que vai surgir quando você chegar na quantidade ideal de itens para a sua vida.

Ela dá dicas pontuais de organização de gavetas, roupas, e até meias, que podem ser muito úteis. Mas o que eu mais gostei foi da filosofia de vida da Marie: uma vida simples te aproxima da felicidade. Menos objetos demandam menos tempo de organização, menos limpeza, menos dinheiro, menos stress. Esse é o estilo de vida que eu venho buscando há um certo tempo! Ainda vou falar um pouco da minha caminhada no destralhe :).

Leiam o livro, se possível na versão digital hahahah!

“Uma reorganização dramática da casa provoca mudanças dramáticas no estilo de vida e na perspectiva. É transformador”. (Marie Kondo em tradução livre by Elisa).

Beijos!