Categoria: Organização

Minha bolsa: versão minimalista

Você já deve ter visto alguns vídeos com a TAG O que tem na minha bolsa, certo? Eu consegui reduzir muito a quantidade de itens que carrego diariamente e achei que seria bom passar as dicas adiante. Gravei uma versão minimalista da TAG mostrando o que eu levo hoje em dia. Há alguns anos, esse vídeo seria bemmm mais longo!

Como a maioria das mulheres, eu tinha o hábito de levar “a vida” na bolsa, caso tivesse alguma emergência. Depois de anos, vi que as emergências quase nunca apareciam e, quando surgia algum imprevisto, não era a bolsa que me salvava. Cansei de carregar o peso de agendas, maquiagens esquecidas, papéis e documentos desnecessários.

Levo apenas o que eu preciso. Você pode sentir falta de algumas coisas essenciais, como escova de dentes, hidratante, etc. Eu reparei que acabava usando esses itens só enquanto estava no trabalho, nunca no meio da rua. Então deixo na gaveta da minha mesa vários quebra-galhos; adoçante, cremes, escova, grampos, lenço de papel, etc. Se você passa a maior parte do tempo na rua, terá que adaptar sua bolsa.

A proposta aqui é parar para pensar na utilidade dos nossos pertences e avaliar a necessidade de carregá-los todos os dias. Garanto que depois desse vídeo você vai conseguir tirar pelo menos um chiclete vencido da sua bolsa! Espero que gostem dessa versão minimalista da TAG 🙂

Aproveite para se inscrever no canal e receber os vídeos!

bolsa minimalista

Beijos!

Organização da casa DICA de livro

Em busca de novos livros sobre organização, encontrei um que promete resolver os problemas de quem tem uma rotina agitada. “Organize em 10 minutos: o hábito sem estresse para simplificar sua casa”, de S.J. Scott e Barrie Davenport, percorre todos os cômodos da casa com dicas para a organização da casa. Eles ensinam a criar o hábito da arrumação e manter seus pertences em ordem.

Como diz o título do livro, a ideia é mostrar como você pode acabar com a bagunça mesmo tendo pouco tempo disponível na rotina. Os autores sugerem que você separe as tarefas em blocos de 10 minutos, o suficiente para arrumar uma gaveta ou prateleira. No dia seguinte, reserve mais 10 minutos e continue a trabalhar naquele cômodo.

Confesso que ficaria louca se tivesse que deixam um projeto de arrumação pela metade. Gosto de dedicar uma manhã inteira para a organização da casa, mas entendo que nem todo mundo tem esse tempo. E é melhor organizar por 10 minutos do que não fazer nada, né?

organização-da-casa

“Quanto mais você tem, mais ocupado você é, quanto menos você tem, mais livre você é”. A frase da Madre Teresa resume bem o que a bagunça significa hoje para mim. Coisas exigem dinheiro, tempo e paciência, três itens valiosos para mim.

Mas por que temos tanto receio de doar nossos objetos? Apego e culpa são sentimentos que todos nós já tivemos em relação à tralha. A camiseta que sua vó te deu, o souvenir trazido de uma viagem especial… Outra velha desculpa é a de que você pode precisar daquilo algum dia. Estipule então um prazo. Se até a data escolhida você não tiver usado aquele item, tchau!

Eu guardo alguns objetos bem inúteis para tentar vendê-los no futuro e descobri que não estou sozinha! Os autores argumentam que o objeto precisa ter valor hoje para ser mantido. Um possível valor futuro não justifica o apego. Um ponto a menos para as fitas de Super Nintendo que eu pretendia vender em 2050 e ficar rica. Mas acho que vou ficar com essas por mais um tempo… vai que, né?

Bom, em outro ponto eu preciso concordar com os autores do livro: quanto mais coisas você tem, mais difícil é para manter a casa limpa e livre de poeira. Gente, tenho verdadeiro pavor de poeira e não aguento ver bibelôs juntando pó na estante. Além de atacar a minha rinite, a bagunça me estressa. Não no sentido de que fico louca pra arrumar tudo, mas sinto uma “agitação mental”, entende? Não consigo pensar direito ou me concentrar em algo.

Se você quiser investir nessa ideia dos 10 minutos diários, é importante estabelecer um hábito. Para isso, dizem que o ideal é repetir a ação por 30 dias seguidos. Depois, ela se torna um hábito e entra no “automático”. Os autores vão ainda mais longe e sugerem que você leve a organização da casa por 4 a 6 semanas. Para ter ainda mais incentivo, divida sua experiência com outras pessoas.

O livro dá um passo a passo um pouco complicado, na minha opinião. Ele fala em juntar cronômetro, caixas, canetas, post-its, luvas de borracha e produtos de limpeza antes de começar a organização da casa. Acredito em simplificar o processo para evitar que a preguiça ataque.

Comece a arrumação pelos cômodos que você mais gosta ou usa, assim se animará com os resultados e continuará no processo de organização. Os autores falam de todos os cômodos da casa e dão dicas ótimas. Uma delas é colocar a esponja de cozinha na máquina de lavar louças! Eu conhecia a dica do microondas, mas nunca pensei em colocar na máquina. Para completar, uma lista de perguntas que te ajudam a decidir o destino da bagunça:

15 perguntas para responder quando não souber o que fazer:

1. Este item é útil? Ele pode me poupar tempo, energia ou dinheiro? Ele preenche uma necessidade ou propósito?
2. Eu gosto dele?
3. Ele facilita minha vida, de alguma maneira?
4. Eu o usei, encontrei prazer nele ou olhei para ele no último ano?.
5. Ele me energiza ou me drena?
6 . Está quebrado (sem conserto) ou danificado de alguma maneira?
7. A informação que ele fornece está desatualizada (exemplo: livros velhos, revistas, vídeos, etc)?
8. Eu estou mantendo isso por culpa?
9. Eu já terminei de usá- lo e não vejo razão para usá- lo novamente?
10. Ele reflete a pessoa que eu sou hoje ou uma versão antiga de mim?
11. Eu já tenho algo parecido?
12. Eu irei completar isso (e.g., uma peça de tricô, um livro inacabado)?.
13. Eu estou gastando muito tempo pesando os prós e os contras?
14. Se eu me mudasse para uma casa muito menor, ele iria comigo?
15. Ele tem algum valor histórico ou financeiro em potencial (por exemplo, um item passado de geração a geração)?

Comprei o livro Organize em 10 minutos na versão digital pela Amazon. Ele está por R$ 9,99. Espero que gostem da indicação!

Beijos!

Tipos de bagunça

Uma coisa eu aprendi nessa fase de destralhe e organização da casa: ninguém escapa da bagunça. Mesmo a pessoa mais organizada do mundo tem seus pontos fracos e, uma hora ou outra, vai encontrar bagunça em algum canto. Já sofri com todo tipo de tralha em casa, mas alguns tipos de bagunça são clássicos por aqui!

Falei no vídeo de hoje sobre oito tipos de bagunça que sempre aparecem na minha vida. Tenho certeza que você vai se identificar com algum deles! E se eu tiver esquecido alguma bagunça comum na sua casa, me conte nos comentários. Quem sabe aumentamos essa lista? 🙂

Se você ainda não é inscrito no canal, clique aqui. Você vai receber os vídeos assim que eles forem ao ar.

Beijos!

Como organizar o tempo

Todo mundo enfrenta esse dilema diário: como encaixar todas as tarefas que precisamos fazer em apenas 24 horas? Acabamos fazendo o que for mais urgente e vamos postergando o resto. O problema é que nesse “resto” entram aquelas atividades que podem contribuir para um projeto futuro, a realização de um sonho. Entender como organizar o tempo é um processo longo, mas os resultados compensam.

Eu já mudei alguns hábitos, mas ainda me pego perdendo tempo com bobagens ou pura falta de organização. É uma questão de costume, sei que um dia chegarei lá 🙂 . Separei três dicas de como organizar o tempo para que seu dia renda melhor. Todo mundo tem direito às mesmas 24 horas, o difícil é saber como organizá-las, concordam?

como-organizar-seu-tempo

Sem desperdício
Organizei a minha vida para não perder mais tempo com coisas simples. Exemplos: a blusa que eu preciso está suja, não tenho o que vestir, a chave do carro sumiu, vou ao banco porque esqueci de pagar a conta pela internet, etc. Você pode encarar essas situações como imprevistos, mas eu vejo como falta de organização. Defina um lugar para as chaves e elas sempre estarão lá. Agende um dia do mês para pagar as contas on-line e nunca mais entre na fila do banco para pagar um mísero boleto vencido. Conheça seu guarda-roupa, saiba o que te deixa confortável, e sempre terá o que vestir para ir ao trabalho. Sério, já economizei umas belas horas depois que coloquei a vida em ordem.

Planejar na véspera
Eu sempre acordo desorientada e demoro um bom tempo para voltar a raciocinar direito. O resultado disso são péssimas decisões matinais, como trocar uma pendência importante por uma atividade banal. Isso quando eu não esqueço tudo e acho que estou livre para ficar no Netflix. A solução foi me planejar na véspera. À noite eu estou com a cabeça boa e costumo lembrar de tudo que preciso fazer. Faço uma lista bem objetiva e deixo o papel em algum lugar que eu certamente verei pela manhã. Só coloco na lista o que eu terei tempo e condições de fazer. Desisti de colocar itens muito complicados e depois ficar me culpando por não ter feito. Esses podem ser divididos em tarefas menores ou deixados para um dia mais tranquilo, se possível.

Agenda, agenda e agenda
Não gosta do calendário do celular? Use uma agenda de papel. Acha muito grande? Use um caderninho. Sempre tem um jeito, o que importa é ter um calendário para as suas atividades. Eu uso o app Google Agenda no celular. Ele é integrado ao tablet e ao computador, então posso inserir compromissos de qualquer plataforma. Uso para marcar festas, compromissos de trabalho e atividades simples, como “lavar toalhas”. Se não estiver lá, eu vou esquecer, então gosto de anotar tudo.

Coloque alguma dessas dicas em prática hoje e volte para me contar os resultados. Se você usa uma tática diferente, compartilhe nos comentários. É sempre bom trocar ideias sobre organização 🙂

Beijos!

7 lições da Marie Kondo para a vida

O livro “A mágica da arrumação“, da japonesa Marie Kondo, virou uma espécie de manual de consulta para mim. Vira e mexe dou uma olhada nele para relembrar as dicas de arrumação ou buscar incentivo para manter a vida em ordem.

Na última leitura express percebi que, muito além de dicas práticas de organização, a Marie Kondo traz algumas lições de vida muito úteis. Juntando frases e algumas ideias gerais do livro, cheguei a essa lista com 7 lições para fazer você pensar sobre a sua bagunça (material e de pensamentos).

towels-923505

1- Quando você coloca sua casa em ordem, você coloca sua vida e seu passado em ordem também. A consequência inevitável é enxergar de form mais clara seus objetivos de vida e o que você está fazendo para alcançá-los. Engraçado como a tralha material nos desvia tanto dos nossos pensamentos! Você se preocupa tanto com os objetos que deixa o restante de lado. Organizar a casa é uma boa ideia para quem anda com a vida bagunçada e não sabe como sair disso.

2- Arrumar a casa é uma ferramenta, não um objetivo. Você não organiza só para ter uma casa organizada. Os ganhos vão muito além disso: você vai economizar tempo, dinheiro e stress. Além, claro, de ganhar espaço na mente para se concentrar no que realmente importa.

3- Esconder a bagunça cria a ilusão de que o problema foi resolvido, mas a tralha inevitavelmente voltará a te perseguir. Organizar a bagunça não é acabar com ela. Guardar objetos inúteis dentro de caixas lindamente decoradas não é a solução. A Marie Kondo reforça a necessidade do destralhe real, de tirar de casa roupas, acessórios, livros e enfeites que perderam serventia para você.

4- Abrir mão de um objeto não é algo ruim. Em vez de imaginar que está “abandonando” seus pertences, pense que está se cercando de coisas que te fazem feliz. Seu vestido de formatura te fez sentir linda há 15 anos, mas hoje não faz a menor diferença na sua vida. Livros que nunca foram nem serão lidos dão mais agonia que prazer ao seu dono. Que tal abrir espaço para coisas que te tocam de verdade?

5- Não podemos viver no passado. Por mais que aquela camiseta do primeiro ano da faculdade resgate uma época linda da sua vida, o ideal é focar no presente. Os objetos que ficam devem ser aqueles que te trazem alegria hoje. Acho que essa é a lição da Marie Kondo mais difícil de colocar em prática.

6- Estocar produtos dá a ilusão de segurança para algumas pessoas. Mas não há um limite: quanto mais elas têm, mais agoniadas ficam para acumular novos itens. A Marie Kondo explica que é mais fácil lidar com a falta temporária de um objeto do que administrar pilhas e pilhas de coisas. Ela recomenda que você se livre de estoques. Eu já fiz o teste e me controlei para não comprar produtos que estavam acabando. Vi que dava para viver sem vários deles ou fazer substituições.

7- Esvazie sua bolsa todos os dias. Só assim pra gente não acumular milhões de tralhas inúteis :).

Beijos!

Guardar ou doar? Guia para o destralhe

Esses dias o blog Vida Organizada compartilhou no Facebook uma ilustração para ajudar quem precisa destralhar o armário. A imagem foi publicada pela página do governo do Rio Grande do Sul e dá orientações para acabar com a clássica dúvida: será que eu guardo ou não?

como-arrumar-casa-pequena-destralhe

Sabe quando você separa algumas peças para venda/doação, mas não consegue se decidir sobre a pilha do “talvez”? Pegue cada roupa e faça as perguntas na ordem sugerida na imagem. Eu pularia a primeira pergunta, sobre “razões sentimentais”. Não acho que esse seja um bom motivo para guardar nada.

Vá direto para a parte objetiva. Está rasgada ou estragada? Ainda te serve? Pretende usar alguma vez? Se a peça estiver em mau estado, não adianta doar, é lixo. Abro uma exceção para moletons, toalhas e outras peças que possam ser usadas por instituições que cuidam de cachorros abandonados. Eles aproveitam de tudo para forrar as caminhas dos bichos. Já doei pano de prato, edredon velho, etc. É uma maneira linda de usar materiais que iriam para o lixo.

Também vou discordar do item “presente de alguém importante”. Sei que é difícil doar presentes, especialmente aqueles dados por pessoas que fazem questão de te ver usando a roupa. Mas não vejo sentido em deixar a roupa parada no armário sendo que alguém poderia ser feliz com ela.

Isso de ser caro ou não também é complicado. Mesmo que você tenha desembolsado uma grana por aquela roupa, ela não vale nada no fundo da gaveta. É melhor recuperar parte do dinheiro vendendo a peça do que abandoná-la. Aí sim vai ser um desperdício! A internet tem várias ferramentas interessantes para venda: o próprio Facebook, o Enjoei e o Tradr.

Beijos!

Etiquetas para organizar a cozinha

Uma maneira simples de decorar e manter a cozinha organizada é colar etiquetas nos potes que armazenam temperos, grãos, farinhas e outros ingredientes que usamos no dia a dia. Estava com a ideia de fazer as minhas próprias etiquetas de cozinha, mas não tenho a menor habilidade com design e programas de edição de imagens. Fuxicando o Microsoft Publisher, que vem no pacote Office, vi que qualquer um pode fazer etiquetas lindas!

Fiz três modelos e espero que algum deles combine com a sua cozinha :). Coloquei os itens mais comuns em uma despensa, como arroz, feijão e açúcar, mas deixei algumas em branco para você preencher de acordo com o que tem em casa. Essas etiquetas dão outra cara para os tradicionais potes de mantimentos e ajudam a organizar a cozinha. É só fazer o download do arquivo que você preferir e imprimir.

Fiz um tutorial rápido para quem tem zero habilidades e quer fazer seus próprios modelos. Está logo depois dos arquivos das etiquetas. Espero que gostem :).

etiqueta-quadro-negro

Download – Etiqueta de quadro negro

etiqueta-flores-organizar-cozinha

Download – Etiqueta de quadro negro

etiqueta-azul-para-cozinha

Download – Etiqueta azul

Etiquetas for dummies:

A primeira coisa é procurar no google uma imagem para usar como fundo da etiqueta. Usei os termos de busca “scrapbook” e “wallpaper” e achei ótimas opções. Abra um arquivo novo no Publisher e insira uma “forma”. Pode ser um círculo, retângulo, o que você preferir. Esse é o ícone:

formas

Clique com o botão direito na forma criada e vá em “Formatar Autoforma”. Em “efeitos de preenchimento”, selecione a imagem que você salvou para usar como fundo. Depois é só incrementar a etiqueta! Inseri uma faixa branca nas etiquetas com fundo colorido, pois seria difícil escrever o nome do ingrediente por cima. Escolha uma fonte legal e escreva os nomes dos produtos que você tem na despensa.

Imprima em casa ou em uma gráfica rápida. Já imprimi etiquetas em papel adesivo, o que facilita muito na hora de colar. Paguei R$ 5 por folha e cada uma rende várias etiquetas. Você também pode usar papel comum e colar com contact transparente. As duas opções são baratinhas e mudam a cara da sua cozinha.

Beijos!

Líquidos na bagagem de mão

A cada dia eu me convenço mais de que arrumar uma boa mala é um desafio de organização. Você tem a limitação de espaço e o “elemento surpresa” de nunca saber exatamente os programas e passeios que fará no destino. Mas poucas coisas são mais complicadas do que enfiar todos os seus produtos líquidos em um saquinho plástico transparente!

Vamos passar este fim de semana fora e eu não queria despachar a mala, então corri para checar as regras de transporte de líquidos em voos internacionais. Estou bem mais controlada e organizada do que da última vez em que precisei fazer esse saquinho, mas não foi fácil. Reaproveitei várias embalagens mini que levei na necessaire nas férias. A diferença é que, em vez da necessaire, tudo precisava caber em um saco plástico com o tamanho permitido.

A regra é levar uma embalagem plástica transparente de até 1 litro, com aproximadamente 20cm x 20cm. Mas não vale colocar qualquer coisa lá dentro. Cada embalagem deve ter até 100ml. Se você quiser levar algo maior do que isso, vai precisar despachar. Na hora de passar no raio-x, é só colocar tirar o saquinho da bolsa para que o funcionário veja. Consegui colocar esses produtos no plástico:

líquido-na-bagagem-de-mão

Troquei o condicionador por essa bisnaga  de máscara, que posso usar e jogar fora. Perfume, leave-in e demaquilante estão nos sprays de R$ 1,99 e o restante está nas embalagens normais. O maior produto é o desodorante, que tem 50ml. Só deixei três itens de maquiagem: base, batom e máscara de cílios. O restante é em pó, não tem problema levar em uma bolsinha separada. Uma dica: não adiante levar uma embalagem com mais de 100ml e alegar que o produto está na metade. O frasco tem que respeitar o volume de 50ml, mesmo que esteja usado.

A Infraero tem uma lista bem completa de normas para bagagem de mão em voos internacionais. Separei algumas delas:

  • Perfumes, bebidas e outros líquidos adquiridos no free shop precisam estar embalados em sacola selada e acompanhados das notas fiscais do dia do voo.
  • Medicamentos somente com prescrição médica e apresentação da receita no momento da inspeção por raios x.
  • Mamadeiras e alimentos infantis industrializados (quando bebês e crianças estiverem viajando) são permitidos.
  • Medicamentos que não necessitam de prescrição médica: colírio, solução fisiológica para lentes de contato etc. (desde que não excedam 100 ml ou 3.4oz).
  • Cosméticos sólidos (batom, protetor labial ou desodorante em bastão etc.)

 

Ué, o batom nem precisava entrar no saquinho! Vou aproveitar para levar mais alguns :).

Beijos!

Como arrumar uma casa pequena

Estamos passando por uma fase engraçada nesse início de casamento: todos os nossos pertences foram pensados para o futuro apartamento, mas ainda vivemos na espaçosa casa da minha família. Eu não esperava toda essa demora (#paciência), então tudo que tenho já está devidamente adaptado a uma casa de 50 metros quadrados. Como arrumar uma casa pequena era a minha maior dúvida na hora de escolher móveis e outros objetos.

O primeiro passo foi reduzir os itens do guarda-roupa para o tamanho do futuro armário. Ele será um pouco maior do que o armário que uso hoje e terei que dividi-lo com o Léo. A conta é fácil: terei só metade do espaço atual, então as roupas e sapatos precisavam cair pela metade. Esse objetivo parecia impossível, mas eu pensava muito em manter a casa organizada, então desapeguei de muita coisa. É difícil organizar a casa quando você tem muitos objetos. Eu acredito em reduzir para organizar.

Hoje dividimos o armário e lá também guardo a roupa de cama. Problema resolvido! Como arrumar uma casa pequena não é algo fácil, fui atrás de outras alternativas. A mais inteligente delas, na minha opinião, é a cama com baú. Em vez do box tradicional, ela tem um baú bem amplo. Esse box é mais caro, mas te dá um espaço enorme para guardar edredon, travesseiro, mala e outros objetos maiores. Eu sou muito fracota, mas consigo abrir o baú tranquilamente porque ele tem o mesmo sistema usado em porta-malas de carro. O nosso está lotado:

cama-box-baú

No momento guardo vários presentes de casamento, principalmente coisas de cozinha. Quando tudo estiver no lugar certo, quero aproveitar o espaço para guardar sapatos pouco usados, roupa de cama, cobertas e malas pequenas.

Descubra como arrumar uma casa pequena: banheiro

Antes da organização do quarto, eu usava muito espaço para guardar itens menores, como meias, cintos e roupa íntima. Como arrumar uma casa pequena exige o melhor uso possível do espaço, tirei tudo isso das gavetas e comecei a guardar em caixas de tecido. Uso essas mesmas caixas no armário do banheiro para guardar estoque dos produtos que mais uso. Fica organizado e fácil de arrumar. As minhas são da Ikea, mas já vi para vender na Etna. São muito parecidas com essas:

como-arrumar-uma-casa-pequena

 

Tenho muitos planos e ideias para os outros cômodos da casa, mas preciso esperar a mudança para colocar tudo em prática. Enquanto isso, vou reduzindo as máximo os itens do quarto. Como vocês mantêm a ordem em casa? Alguma dica de como arrumar uma casa pequena?

Beijos!

Limpeza de primavera

Hoje começa a primavera e com ela vem a expectativa de meses ensolarados pela frente. Apesar do calor monstro que já está fazendo aqui em Brasília, ainda tenho algumas peças de inverno misturadas com roupas mais frescas. Como não devo usar nada disso até maio de 2016, achei que era uma bora hora para guardar os casacos. Aqui em casa temos um armário “coletivo” onde guardamos roupas de festa e frio. Se eu não tivesse esse espaço, guardaria os casacos dentro de uma mala. Por aqui não temos problemas com mofo, mas essa pode ser uma preocupação dependendo da cidade onde você mora.

A mudança no armário com a chegada da primavera é muito comum em países com estações do ano bem definidas, mas podemos aproveitar algumas dicas aqui mesmo no Brasil.

Uma boa ideia é levar na lavanderia casacos mais estruturados que não podem entrar na máquina. Eles voltam de lá com aquela capa de plástico, prontos para serem armazenados. Meu edredon também foi para a lavanderia e deve ficar guardado no plástico por algum tempo. Estamos usando uma manta fininha no lugar dele e está sendo ótimo.

Guardei no fundo de uma gaveta as meias mais grossas e as meias-calças. Os pijamas de frio foram para o fim da pilha. Tenho apenas uma bota e ela até poderia ser usada em outras épocas do ano, mas tenho um bloqueio e só uso no inverno. Então ela será limpa e ficará guardada no fundo da gaveta de sapatos. As rasteirinhas e sapatilhas já estão na área nobre da gaveta.

Fiz rolinhos com os cardigans mais pesados e arrumei tudo no fundo de uma gaveta também. Faço essa mudança de posição na gaveta porque naturalmente acabo usando mais o que está na frente. O fundo fica mais escondido, então deixo para guardar peças que não são tão usadas. Deixei três cardigans leves pendurados porque muitas vezes levo para o trabalho.

São trocas simples, já que nosso guarda-roupa não varia tanto de uma estação para a outra, mas é uma oportunidade de organizar suas roupas e sapatos.

Vocês têm alguma dica de organização para a primavera? Comentem aqui :).

Beijos!